PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Allianz encerra 1ª de 5 semanas para instalar grama sintética; veja datas

17/01/2020 18h57

O Allianz Parque avança na primeira das cinco semanas previstas para instalação de grama sintética. O perfil do estádio do Palmeiras no Twitter divulgou fotos da obra na arena e a expectativa é de que o local esteja pronto para receber partidas a partir da segunda quinzena de fevereiro, contanto que as chuvas não atrapalhem o andamento da reforma.

O time já definiu que enfrentará o São Paulo, no dia 26, pelo Paulista, em Araraquara. Mas pode ser a única partida longe de casa. Existe a chance de a estreia do Allianz em jogos do clube no dia 16 de fevereiro, contra o Mirassol, ou diante do Guarani, no dia 20, ambos compromissos pelo Estadual. É certo que a arena estará livre para o primeiro jogo da equipe como mandante pela Libertadores, em 10 de março, ainda com adversário indefinido.

Confira o cronograma previsto para instalar grama sintética no Allianz:

.Início da obra (base do campo): 12/1 até 28/1 (data aproximada)

.Início da instalação do gramado sintético: a partir de 28/1 (data aproximada)

.Fim da obra: 2ª quinzena de fevereiro

Será implantado um sistema chamado de Soccer Grass Stadium System, diferente de todos os gramados sintéticos existentes no país (inclusive na Arena da Baixada, casa do Athletico-PR, em Curitiba), em um processo de modernização com duração de cerca de 40 dias. O mesmo sistema está sendo colocado em um dos gramados da Academia de Futebol, o CT do Palmeiras.

O gramado escolhido para o Allianz Parque é o Soccer Grass MX Elite 50, fabricado na Holanda e utilizado no CT da seleção do país. A grama artificial tem 50mm de altura e é composta por três tipos de fios em formatos e cores diferentes, um combo de fibras que garante a aparência e performance de um gramado natural. Cada tufo de grama tem 24 cerdas e é costurado diversas vezes ao tapete, o que impede que a grama se solte com o impacto. É prometido ainda um alto poder de drenagem.

- Esse sistema é a síntese do que há de mais avançado em gramados sintéticos para uso profissional, sendo, inclusive, aprovado pela FIFA e usado em diversos estádios na Europa. Sua concepção é resultado de exaustivos estudos para atender as demandas cada vez mais exigentes do futebol profissional, como por exemplo, interação da grama com o atleta e interação da bola com a grama. Tudo isso para termos um jogo perfeito, semelhante ao dos gramados naturais dos campos da UEFA, com a vantagem da durabilidade e resistência excepcional - explicou Alessandro Oliveira, diretor-presidente da Soccer Grass.

A obra começou no domingo, com a retirada do antigo gramado natural. Cerca de 30 profissionais trabalham em um processo dividido em cinco etapas: preparo do solo; instalação do sistema de drenagem; colocação de uma espécie de manta de amortecimento, produzida na Alemanha, que além de amortecer, também faz parte do sistema de drenagem do gramado; instalação da grama; aplicação do Infill TPE, produto de preenchimento da grama.

O campo sintético garante ao Palmeiras um padrão de campo, sem prejuízos por eventos no estádio, já que os fios foram desenvolvidos com memória para que sempre estejam na vertical, mesmo após suportar pesos e coberturas. Além disso, o time deve sair menos de casa, pois o campo estará pronto para o jogo apenas seis horas após a desmontagem do palco. E há ainda benefícios ambientais: como o antigo campo precisava de iluminação artificial diária, serão economizados, em média, de R$ 80 mil a R$ 100 mil mensais.

- A inovação sempre esteve em nosso DNA, foi assim desde que apresentamos o modelo de negócios do Allianz Parque, pautado na diversidade de receitas e eventos. A modernização do gramado é mais uma etapa da nossa caminhada em busca da excelência para o negócio e para o nosso parceiro, a Sociedade Esportiva Palmeiras - disse Luis Fernando Davantel, chefe-financeiro da WTorre, administradora do Allianz Parque.

Futebol