PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Vencedor e polêmico, ex-presidente Alberto Dualib completa 100 anos

Alberto Dualib, ex-presidente do Corinthians, em sua residência - Edson Lopes Jr./UOL
Alberto Dualib, ex-presidente do Corinthians, em sua residência Imagem: Edson Lopes Jr./UOL

14/12/2019 14h21

Um dos mais emblemáticos presidentes da história do Corinthians, Alberto Dualib completa 100 anos hoje. Nascido em Glicério, cidade do interior de São Paulo, o empresário e ex-dirigente ocupou a presidência do Timão no período de 1993 a 2007, por quatro mandatos.

Com ele na presidência, o Timão conquistou onze títulos: as Copas do Brasil de 1995 e 2002, os Campeonatos Brasileiros de 1998, 1999 e 2005, o Mundial de 2000 e os Campeonatos Paulistas de 1995, 1997, 1999, 2001 e 2003. No entanto, o final de sua passagem foi manchado por escândalos financeiros, que culminaram em sua renúncia e posterior exclusão do quadro de sócios.

Dualib firmou diversas parcerias no comando do Timão. Foi com ele como presidente que o Corinthians virou parceiro do banco Excel, com os norte-americanos da Hicks Muse e os iraquianos e russos da Media Sports Investment (MSI). Com a MSI, por exemplo, nomes como Tévez e Mascherano foram contratados para reforçar a equipe.

Em 2007, porém, com o fim do acordo com a MSI, o cartola passou a ser investigado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e outros crimes. Sob o risco de impeachment, Dualib renunciou a presidência do clube. No ano seguinte, o mandatário viu Carlos Senger, presidente do Conselho Deliberativo na época, assinar o seu desligamento do quadro de sócios do clube.

Não foi somente dentro do clube que Dualib enfrentou problemas com a Justiça. Em 2010, Alberto Dualib foi condenado em primeira instância na Justiça Estadual de São Paulo pelo crime de estelionato. Em outubro do ano passado, porém, foi reconhecida a extinção de sua punibilidade por conta da prescrição.

Em maio deste ano, o Conselho de Orientação do Timão (Cori) recomendou o retorno do ex-dirigente ao quadro associativo do clube. Contudo, a volta não foi votada.

Corinthians