Brasil entregará proposta para sediar a Copa do Mundo Feminina em 2027

Representantes do Brasil entregarão na quinta-feira (7), em Zurique, na Suiça, o Bid Book, brochura que apresenta as propostas do candidato a país-anfitrião da Copa do Mundo feminina. A decisão do local escolhido se tornará pública no dia 8 de maio de 2024, no Congresso da FIFA, na Tailândia.

Três mulheres representarão o Brasil durante a etapa final do processo de candidatura: Valesca Araújo, responsável pelo planejamento de infraestrutura e operações de evento, Manuela Biz, consultora de Comunicação, e Luiza Iglesias, diretora de arte e criadora da marca e identidade visual da campanha

"Pelas mãos de três mulheres, estamos levando à FIFA uma proposta que reflete a vontade de estabelecer a Copa do Mundo feminina da FIFA como plataforma de desenvolvimento do futebol feminino em todas as suas camadas, desde a formação de jovens atletas e gestoras até a materialização de políticas de proteção dos direitos da mulher, dentro e fora do campo", disse Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF.

Ele também citou que o Brasil está cada vez mais preparado para receber grandes eventos esportivos.

"Temos um país pronto. De 2014 para cá, nossas condições evoluíram ainda mais, com melhorias e mais estrutura nos estádios. A paixão do futebol só aumenta no Brasil e vivemos um momento importante, em que as relações com o mundo do futebol foram restabelecidas, após anos de interrupção. O Brasil reconquistou a confiança da Fifa, da Conmebol, da Uefa, de todas as grandes entidades, e isso nos estimula a pleitear esse evento", falou.

O livro que condensa as propostas do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2026 é um documento de mais de 160 páginas que fornece informações detalhadas sobre a infraestrutura das dez cidades-sede propostas: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

"Trabalhamos desde o início com a ideia de utilizar somente os palcos construídos ou reformados para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, confirmando o legado daquela competição no desenvolvimento do esporte e como parte de um projeto de sustentabilidade ambiental e financeira. Também temos como objetivo envolver o continente sul-americano, por isso distribuímos os jogos em todas as regiões do Brasil, possibilitando que fãs de outros países possam também desfrutar de um momento único", comentou Valesca Araújo.

"Nossa estratégia pressupõe a participação ativa das pioneiras do futebol, das gestoras, da imprensa especializada, da sociedade civil, dos patrocinadores, para juntos alcançarmos mulheres e meninas que buscam uma referência, uma inspiração no esporte, para além dos gramados. Além disso, estamos alinhados com as metas do Brasil como protagonista global na agenda de sustentabilidade econômica, social e ambiental", disse Manuela Biz.

Ednaldo Rodrigues apresentou a nova comissão técnica da Seleção Feminina Principal em setembro

Continua após a publicidade

A candidatura do Brasil à Copa do Mundo de 2027 é apoiada pelo slogan "Uma Escolha Natural". A campanha utiliza as redes sociais para engajar o público brasileiro e sul-americano, recebendo vídeos de apoio de internautas, que aparecem no filme oficial, entregue à FIFA.

Além do Brasil, outras duas candidaturas disputam o direito de sediar o evento: Estados Unidos em parceria com o México, e o trio Alemanha, Bélgica e Holanda. A África do Sul desistiu da disputa em novembro de 2023.

A partir de agora, a documentação de cada proponente será avaliada pela FIFA. As propostas que atenderem aos critérios técnicos pré-estabelecidos serão submetidas à votação no Congresso da entidade, em maio de 2024.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes