PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Cotia fornece 62% dos inscritos do São Paulo na Libertadores

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

20/04/2021 07h00

Classificação e Jogos

Dos cinquenta jogadores inscritos pelo São Paulo na Copa Libertadores, 31 vêm de Cotia. Ou seja, 62% do contingente que o técnico Hernán Crespo terá à disposição é composto por pratas da casa. Apostando nas categorias de base, a diretoria tricolor vem mesclando essa juventude com a experiência de atletas pontuais para que 2021 seja um ano bem diferente de 2020, em que o clube viu um título praticamente ganho escapar entre os dedos.

A exemplo da última temporada, a Conmebol manteve a alteração em seu regulamento, ampliando o número de inscritos na competição, devido à pandemia do novo coronavírus. Para evitar que uma equipe seja prejudicada por um possível surto de covid-19 em seu elenco, cada clube pôde relacionar muito mais atletas que o normal.

Diego Costa, Luan, Liziero, Hernanes, Perri, Shaylon, Gabriel Sara, Arthur Gazze, Rodrigo Nestor, Igor Gomes, Galeano, João Adriano, Juan, Rodrigo, Young, Welington, Beraldo, Patryck, Talles Costa, Paulinho Boia, Vitinho, Thiago Couto, Luizão, Anilson, Walce, Caíque, Nathan, Palmberg, Marquinhos, Pedrinho, Gabriel Falcão e Caio Felipe são os representantes de Cotia na lista de inscritos do São Paulo na Libertadores.

Desses, 15 já vêm participando há algum tempo da rotina do elenco profissional, enquanto o restante faz parte de um plano da nova diretoria de integrar ainda mais o sub-20 e o profissional, promovendo treinos entre as duas equipes frequentemente como forma de encurtar a distância entre os "dois mundos".

Contando com Marcos Vizolli (auxiliar técnico), profundo conhecedor da base são-paulina, Milton Cruz (assessor técnico), Muricy Ramalho (coordenador técnico) e, mais recentemente, Alex (treinador) para reforçar essa ponte entre time profissional e sub-20, o São Paulo trabalha para encontrar soluções para o elenco sem precisar ir ao mercado e investir um dinheiro que não dispõe no atual momento de crise.

Resta saber se essa mescla de juventude com a experiência de nomes como Miranda, Daniel Alves, Eder, entre outros nomes, fará com que o São Paulo, enfim, quebre o longo tabu de títulos, seja na Libertadores ou em qualquer outra competição que o elenco vai disputar em 2021.

São Paulo