PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente da CBF avalia temporada na pandemia: "Cenário desafiador"

Presidente da CBF Rogério Caboclo durante a premiação da final do Mundial Sub-17 - Alexandre Loureiro/CBF
Presidente da CBF Rogério Caboclo durante a premiação da final do Mundial Sub-17 Imagem: Alexandre Loureiro/CBF

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

07/03/2021 11h23

No dia em que se encerra a temporada de 2020, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, comentou sobre os desafios de realizar competições de futebol em meio à pandemia.

Em artigo publicado no jornal O Globo, Caboclo relembrou da paralisação dos torneios no dia 15 de março de 2020, apontando as medidas que foram adotadas.

"Naquele momento, a pandemia começava a mostrar seus impactos sobre o Brasil. Foram mais de 120 dias de paralisação dos campeonatos da CBF. Nesse período, a entidade atuou de maneira decisiva para a manutenção do futebol brasileiro doando ou antecipando sem juros quase R$ 170 milhões, em benefício das Federações Estaduais e suas competições locais, dos clubes de todas as séries, do futebol feminino e da arbitragem", explicou.

Presidente da CBF fala sobre desafios do futebol na pandemia

Para o retorno do futebol, o mandatário disse que foram gastos aproximadamente R$ 30 milhões em testes de covid-19 para atletas, comissões técnicas e árbitros. Ainda assim, não foi possível evitar os surtos da doença nos clubes.

"Não passamos incólumes pela pandemia. Houve surtos localizados em clubes, mas sem evidências de que isso tenha desencadeado contágio entre jogadores no campo de jogo. Garantimos que o futebol não fosse um fator de expansão da epidemia. Poucos setores da cadeia produtiva se mostraram tão seguros", apontou.

Ao longo do artigo, Rogério Caboclo também lamentou a ausência de torcida nos estádios, mas disse que isso só será possível quando "as condições de saúde do país, com a vacinação, permitirem".

Após quase um ano do início da paralisação, o presidente da CBF avalia que ainda existem dificuldades para a realização dos campeonatos na pandemia.

"O cenário continua desafiador. Mas estamos muito mais preparados para enfrentá-lo com as lições que aprendemos e serão aplicadas na temporada de 2021. Seguiremos tomando decisões corajosas com racionalidade, responsabilidade e permanente diálogo", concluiu.

Futebol