PUBLICIDADE
Topo

Santos

Santos ganha fluxo de caixa, afasta 'nuvens negras' e mira 'céu de brigadeiro'

Andres Rueda, presidente do Santos, em reunião na Vila Belmiro - Ivan Storti
Andres Rueda, presidente do Santos, em reunião na Vila Belmiro Imagem: Ivan Storti

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

16/01/2021 07h00

O Santos tem sérias dificuldades financeiras, mas começa a diminuir os problemas e enxergar melhoras administrativas na gestão do presidente Andres Rueda.

Um exemplo é o fluxo de caixa. Ele ainda é curto, mas pode ser avaliado. E um organograma está perto de ser aprovado.

Temos que lidar com isso dia a dia, contando centavos até ter uma situação mais tranquila. O que me deixa feliz é que conseguimos um fluxo de caixa depois de uma semana. Parece brincadeira, mas é fluxo de um mês. É melhor ter mais longo, três ou seis meses, mas é uma lição de casa diária para ver o que se paga ou não hoje. Isso deixa a coisa mais sob controle. Não é confortável, mas acredito que rapidamente com as implementações que fazemos isso estará de acordo. Comitê de Gestão decidiu esperar o Mundial para adequar despesa com receita. Se ganharmos Libertadores, claro. Para não tumultuar a casa e ser algo bem mais tranquilo. Diz Rueda.

"Criamos um organograma a ser aprovado. Cada cargo terá cinco faixas de salário. Vamos readequar pouco a pouco todo nosso quadro profissional a cargos e salários. Que se faixa se encontra, que se for promovido pode ganhar isso ou não. Ficou pronto nessa semana. Situação é um pouco pior do que sabíamos que era. Preocupa, mas não assusta. Temos certeza que ao nosso ritmo de trabalho rapidamente conseguimos, se não um céu de brigadeiro, afastar as nuvens negras", completou o presidente.

O Santos diminuiu sua dívida nesta semana. O Peixe pagou o 13º salário na última quarta-feira, antes da partida contra o Boca Juniors (ARG), além de um mês em direito de imagem e o recolhimento do fundo de garantia.

O Alvinegro ainda não pagou o salário de dezembro e deve duas ou três imagens para parte do elenco. A expectativa é quitar o valor mensal da CLT na próxima semana, com a premiação da Conmebol.

Em live depois da classificação para a final, Marinho cobrou Felipe Ximenes em tom de brincadeira: "Quando vamos receber o salário?". "Amanhã", respondeu o superintendente. E não houve qualquer pagamento na quinta.

O Santos também depositou mais de R$ 3 milhões em impostos atrasados na última quarta-feira. O fato evita a perda do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro). Há outros milhões a pagar deixados por gestões passadas.

Santos