PUBLICIDADE
Topo

Sport

Diretor do Sport fala em proteção a times do Rio: começou a ficar estranho

Árbitro Dyorginies Jose Padovan foi ao VAR para analisar pênalti para o Sport - Paulo Paiva/AGIF
Árbitro Dyorginies Jose Padovan foi ao VAR para analisar pênalti para o Sport Imagem: Paulo Paiva/AGIF

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

10/01/2021 08h00

Classificação e Jogos

O diretor de futebol do Sport, Augusto Caldas, questionou decisões polêmicas da equipe de arbitragem na derrota do time pernambucano para o Palmeiras por 1 a 0, ontem, no Recife pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Sem especificar as suspeitas, ele falou em "proteção" a times do Rio de Janeiro em um momento em que Vasco e Botafogo também brigam contra o rebaixamento.

No lance em questão, o árbitro Dyorgines de Andrade marcou pênalti de Rony após a bola bater em seu braço na área palmeirense. Chamado pelo VAR, o árbitro voltou atrás e anulou a primeira decisão.

"É uma coisa escandalosa. Inclusive, essa falta de respeito com o Sport Clube do Recife e com os times do Nordeste também. Isso nos deixa imaginar o que está acontecendo na CBF em relação a essa proteção que se tem com os clubes do Rio de Janeiro. A partir do momento que Vasco e Botafogo estiveram na zona de rebaixamento, tudo começou a acontecer de uma forma, no mínimo, estranha", questionou o dirigente.

Caldas ainda disse que o Sport entrará com um pedido na CBF para que haja uma revisão do áudio do VAR.

Com a derrota, o Sport permaneceu com 32 pontos na classificação do Campeonato Brasileiro, na 14ª colocação. O Botafogo, com 23, e o Vasco, com 29, ainda jogam pela rodada.

Especialistas concordam com anulação

As comentaristas de arbitragem Nadine Basttos, do Grupo Globo, e Renata Ruel, da ESPN Brasil concordaram com a atitude do árbitro.

"O que acontece: o jogador do Palmeiras tira a bola da área, o Rony vê a bola e ele amplia o espaço corporal, sim, mas tenta tirar o braço. A orientação para o árbitro é ver de quem veio a bola, se houve ganho tático, se há disputa ou bloqueio. O Rony não consegue ganho tático, não está brigando pela bola. A bola estava saindo da área. A arbitragem é orientada a não marcar neste tipo de lance", explicou Renata Ruel no SportSCenter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sport