PUBLICIDADE
Topo

Santos

Presidente do Santos explica insucesso no empréstimo de Copete ao Ceará

Copete treina no CT Rei Pelé sem poder atuar - Ivan Storti/Santos FC
Copete treina no CT Rei Pelé sem poder atuar Imagem: Ivan Storti/Santos FC

redacao@gazetaesportiva.com (Redação)

20/11/2020 14h30

Presidente em exercício do Santos, Orlando Rollo explicou o insucesso na negociação pelo empréstimo de Jonathan Copete ao Ceará até o fim do Campeonato Brasileiro, em fevereiro.

De acordo com Rollo, não houve tempo hábil para aprovação do Conselho Deliberativo. O Vozão topava pagar 100% dos salários do atacante colombiano. Fato semelhante ocorreu com o Cruzeiro na Série B, outro clube interessado.

"Como proposta do Ceará chegou agora, não temos tempo hábil para aprovação do Conselho Deliberativo, mesmo com a ajuda do presidente Marcelo Teixeira, nosso adversário político de anos e que agora coloca a política de lado. Ele quer o bem do Santos. Marcelo tem ajudado, ele pauta no prazo mínimo do estatuto. Mas prazo mínimo excederia semana que vem. Não vou descumprir estatuto. Infelizmente, essa transferência boa para o atleta não se concretizou pelas travas burocráticas do estatuto", disse Orlando Rollo, em entrevista coletiva.

Copete tem contrato até 18 de junho de 2021 e não pode ser utilizado. O Santos está proibido de inscrever jogadores em função da dívida de cerca de R$ 5 milhões com o Atlético Nacional, da Colômbia, por Felipe Aguilar, hoje no Athletico.

O Santos regularizou Laércio e Robinho em outubro, mas não teve tempo de registrar o contrato de Jonathan Copete por ser uma manobra internacional e requerer mais tempo. O fim de um transfer ban até o início de outro durou apenas quatro dias.

Dessa forma, Copete treina no CT Rei Pelé sem poder atuar. E o Peixe, em situação financeira difícil, não tem prazo para fazer acordo com o Atlético Nacional.

Copete foi emprestado para Pachuca, do México, e depois para o Everton, do Chile, entre 2019 e 2020. Ele tem 26 gols em 136 partidas pelo Santos e é o maior artilheiro estrangeiro da história do clube.

Vale lembrar que a aprovação do Conselho Deliberativo é necessária por causa do período eleitoral no Peixe. O Estatuto Social prevê anuência dos conselheiros para compras, vendas ou empréstimos. O pleito está marcado para o dia 12 de dezembro. O presidente em exercício Orlando Rollo não é candidato.

Fernando Silva, Milton Teixeira Filho e Ricardo Agostinho registraram chapas. Andrés Rueda, Daniel Curi, Esmeraldo Tarquínio e Rodrigo Marino ainda são pré-candidatos. Marcelo Teixeira pode ser mais um postulante.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Santos