Topo

'Vai logo, macaco'. Jogador do CSA denuncia caso de injúria racial

Tomas Bastos, jogador do CSA - Morgana Oliveira/ASCOM CSA
Tomas Bastos, jogador do CSA Imagem: Morgana Oliveira/ASCOM CSA

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

08/05/2023 12h35

Classificação e Jogos

Tomas Bastos, jogador do CSA, denunciou um caso de injúria racial em partida contra o Ypiranga-RS, ontem, pela Série C do Brasileirão. Ele diz ter sido chamado de macaco por uma torcedora.

O que aconteceu

"Vai logo, macaco", foi a frase que ele diz ter ouvido das arquibancadas durante o primeiro tempo da partida no estádio Colosso da Lagoa, em Erechim (RS).

Luiz Augusto Silveira Tisne, árbitro da partida, relatou o caso na súmula e disse que o atleta informou ter sido ofendido quando foi buscar a bola para cobrar o escanteio.

O jogo ficou paralisado por cerca de dois minutos para a identificação da torcedora pela brigada militar e por Tomas Bastos.

A mulher e um homem que a acompanhava foram retirados do estádio, e o jogo foi retomado -terminou empatado em 1 a 1.

Tomas Bastos registrou um boletim de ocorrência, e o CSA já se manifestou nas redes sociais (veja abaixo). O UOL tentou contato com o Ypiranga-RS, mas ainda não obteve resposta.

O que diz a súmula

Aos 37 minutos do primeiro tempo, fui informado pelo atleta de nº 08, o sr. Tomas Almino Bastos da Silva, da equipe do CSA, que ele havia sido chamado de macaco por uma torcedora do Ypiranga, localizada na arquibancada próxima à torcida organizada. De acordo com o atleta, a torcedora proferiu a seguinte frase: "Vai logo, macaco", quando este estava buscando a bola perto da arquibancada para cobrar o escanteio"

O jogo ficou paralisado por 02 minutos para identificação da torcedora pela brigada militar e pelo atleta do CSA. Foi realizado boletim de ocorrência policial, sob número 4935 / 2023 / 151306. Relato que nenhum integrante da equipe de arbitragem ouviu o insulto e que o jogo foi paralisado, em função da reclamação do atleta. Nada mais a relatar"