PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Sonho, pesadelo e recomeço tardio: a trajetória de Andreas no Flamengo

Andreas Pereira, do Flamengo, comemora gol contra o Tolima pela Copa Libertadores - DANIEL MUNOZ / AFP
Andreas Pereira, do Flamengo, comemora gol contra o Tolima pela Copa Libertadores Imagem: DANIEL MUNOZ / AFP

Catarina Virginia e Letícia Marques

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

30/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

Em agosto de 2021, Andreas Pereira chegou ao Flamengo com status de grande reforço, encantou aos torcedores, mas viu a relação ficar abalada com o erro na final da Libertadores passada. Uma montanha russa de emoções é o que marca a passagem do meia pelo clube carioca. Ao que tudo indica, a relação chegou ao fim de forma dramática, quase saudosa, um tanto quanto heroica e até constrangedora.

O empréstimo se encerra hoje (30). O último jogo aconteceu pelas oitavas de final da Libertadores, ontem (29), contra o Tolima, em que o Flamengo venceu por 1 a 0, fora de casa, com um golaço de Andreas. Personagem antes mesmo de a bola rolar, o meia foi o protagonista no jogo que tomou forma de despedida - coroada com um adeus em grande estilo aos rubro-negros.

Na comemoração um desabafo acalmado por todos os companheiros que celebraram junto a Andreas o golaço. Camisa para o alto, abraço coletivo de um gol que pode ter encaminhado a classificação do Fla às quartas. A atuação rendeu ao prêmio de melhor da partida trouxe a obrigatoriedade da coletiva de imprensa.

Cauteloso e sonhando com a permanência, Andreas passou pelo constrangimento ao responder sobre o seu futuro, sem nenhum pronunciamento oficial do Flamengo. Apesar de falar em tom de despedida, o meia evitou colocar o ponto final na relação. A necessidade dos clubes de formalizar o término impediu que o jogador se despedisse de melhor maneira.

"Eu não sou dono do meu nariz. O Manchester [United, dono dos seus direitos] que decide essas coisas também. Eu gostaria de permanecer, mas não está nas minhas mãos 100%. Vou ver o que é melhor para mim e para o clube. Sobre o meu futuro, a relação minha com o Flamengo sempre foi muito boa. O grupo sempre me tratou super bem. Esse ano foi incrível apesar de não ganhar títulos. Se realmente não der certo", antes de continuar:

"Eu amo o clube, eu amo o Flamengo, eu sou Flamengo. Com certeza não é uma despedida (...) Eu estava focado no jogo. Falei para o meu empresário: 'me deixa em paz, eu quero ganhar o jogo'. Vou comemorar com meus companheiros. Quando chegar no Brasil eu vou conversar com todo mundo e resolver. Foi uma honra vestir o manto, não sei o que vai acontecer. Esse grupo é fantástico, o Flamengo é o maior clube do Brasil, da América do Sul. Não é uma despedida. Vou voltar", finalizou.

A página final foi heroica de um último capítulo marcado por muito drama. Flamengo e Manchester United ensaiaram um acordo em fevereiro. Na conversa inicial, 10 milhões de euros (cerca de R$ 60 milhões à época) por 75% dos direitos econômicos do jogador. No entanto, a decisão final foi um recuo do clube carioca e Andreas retornará ao United.

O início de um sonho

No ano passado, o Rubro-Negro desembolsou 1 milhão de euros, aproximadamente R$ 6,3 milhões para assinar com o jogador em regime de empréstimo. Andreas viveu um começo animador com o então técnico Renato Gaúcho, firmando-se como titular da equipe. Em ascensão, o meia quebrou o jejum de três anos sem gol de falta no clube diante do Juventude — chegou a ser elogiado pelas redes por Paul Pogba, ex-colega de Manchester — e, aos poucos, caiu na graça do torcedor, que, inclusive, já sonhava com a compra dos direitos em definitivo.

O cenário de Andreas mudou drasticamente no jogo mais importante da temporada: a final da Libertadores diante do rival Palmeiras. Já na prorrogação, uma falha do meia ajudou Deyverson a desempatar a partida e garantir a vitória alviverde por 2 a 1. O jogador encerrou a temporada com 24 jogos, cinco gols e uma assistência.

Deyverson deixa Andreas Pereira para trás e avança para marcar o gol do título do Palmeiras sobre o Flamengo na Libertadores 2021 - PABLO PORCIUNCULA / AFP - PABLO PORCIUNCULA / AFP
Deyverson deixa Andreas para trás e avança para marcar o gol do título do Palmeiras na Libertadores 2021
Imagem: PABLO PORCIUNCULA / AFP

A queda

A culpa pelo fiasco, então, recaiu quase toda sobre Andreas. De "xodó da torcida", o meia passou a ser pressionado em todos os jogos. O próprio jogador passou a se questionar após o fatídico lance: "No momento estava muito claro o que eu ia fazer, mas a bola acabou escapando. Já vi um milhão de vezes para ver o que aconteceu, o que poderia ter feito. Não só vi, tive vários sonhos".

Na atual temporada, já sob o comando de Paulo Sousa, Andreas viu uma nova chance, mas oscilou até se reafirmar como titular da equipe. O meia, inclusive, não foi acionado na final da Supercopa contra o Atlético-MG e atuou somente um tempo na final do Carioca contra o Fluminense.

A final da Libertadores influenciou as atuações do jogador por meses. Andreas viveu um jejum de 22 jogos até voltar a participar de gol com a camisa do Flamengo, quando converteu um tento no clássico com o Flu, em maio, pelo Brasileirão.

A desconfiança passou das arquibancadas para os bastidores do Flamengo e, aos poucos, foi minando as chances de permanência do meia na equipe. Tanto Andreas quanto os técnicos Paulo Sousa e Dorival Jr, atual comandante da equipe, manifestaram o desejo de seguir com o casamento, mas as falhas e o emocional fragilizado pesaram contra o jogador.

Aos poucos, Andreas caminhou para o recomeço nesta temporada. No último mês, o meia se tornou um dos pilares do elenco, se consolidou na recuperação e engatou sequência de nove jogos como titular — foram três gols neste período. Assim, retornou aos braços da torcida, que novamente pediu pela contratação.

Internamente, o Flamengo dava indícios de que o pedido não seria atendido. Mas o vice-presidente de futebol Marcos Braz garantiu que o clube ainda procurava por uma alternativa, mesmo sabendo das dificuldades. A visão final: a diretoria considerou a negociação até o meio do mês de junho.

"Há três meses foi bastante noticiado que o Flamengo tinha fechado com o Andreas. Um mês depois falaram que o Flamengo tinha largado o Andreas. E não é isso. O Flamengo ainda procura alternativas para que o jogador se mantenha aqui. É muito difícil, uma situação muito complexa. É um jogador novo, que tem muito mercado, e de um clube poderoso financeiramente. Então quando você vai discutir alguns termos, você tem limites para avançar nesse tema, mas o Flamengo ainda trabalha para a manutenção do jogador'', disse Braz.

De volta à Europa

Sem acordo entre os clubes, Andreas deixa o Flamengo - sua primeira experiência no futebol brasileiro - após 53 jogos (43 como titular), oito gols e três assistências, além de 13 cartões amarelos.

Andreas não deve retornar mais ao Rio de Janeiro. Da Colômbia, o jogador segue para a casa da família em Londrina, no Paraná, onde passará uma semana de férias antes de retornar à Europa.

O Fulham, da Inglaterra, fez proposta para contratar o jogador e já tem acordo com o Manchester United pelo mesmo valor acordado com o Fla: de 10 milhões de euros (cerca de R$ 54,2 milhões na cotação atual), além de mais 3 milhões de euros (R$ 16,2 milhões) condicionados a bônus por metas. A negociação está nas mãos de Andreas, que precisa acenar positivamente.

Flamengo