PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

SPFC: Como Gabriel foi de 'quase fora' a figura dominante contra Palmeiras

Gabriel Neves, durante clássico do São Paulo contra o Palmeiras - Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC
Gabriel Neves, durante clássico do São Paulo contra o Palmeiras Imagem: Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

25/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

A velha máxima que a vida pode mudar do dia para a noite cabe muito bem para o atual momento de Gabriel Neves. Em apenas 180 minutos, o meia uruguaio foi de carta fora do baralho para destaque do São Paulo. A virada de chave ocorreu após o atleta de 24 anos se destacar nos dois confrontos contra o Palmeiras nesta semana, alcançando as suas melhores atuações desde que chegou ao Tricolor, no meio do ano passado. Se antes sua saída era cogitada, a tendência agora é que ele ganhe mais espaço em uma zona carente do elenco.

Gabriel Neves aproveitou a lacuna deixada na posição de primeiro volante. A grave lesão no músculo adutor da coxa esquerda fez com que Luan não conseguisse manter seu espaço entre os titulares. Cinco meses depois de ficar parado por causa da lesão, o camisa 8 foi operado para corrigir uma complicação causada por uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda e volta apenas em 2023.

Enquanto Luan não voltava, Pablo Maia chegou a ocupar o espaço no Paulistão. Em seu primeiro ano como profissional, o volante de 20 anos se firmou e foi um importante ponto de equilíbrio da equipe na campanha do vice-campeonato estadual. No Brasileirão, contudo, passou a ter uma oscilação considerada natural para a idade.

Gabriel Neves teve suas chances no começo da temporada, quando Ceni tentava encontrar o time ideal, mas não conseguiu convencer. Em determinado momento, era raro quando ele ficava pelo menos no banco de reserva. Entre o primeiro jogo contra o Palmeiras, em 22 de março, pela final do Paulistão, e o Santos, em 2 de maio, pelo Brasileirão, o São Paulo fez dez jogos, com o meia uruguaio sendo relacionado apenas em dois.

Mesmo sem conseguir se firmar, Gabriel Neves sempre teve um bom relacionamento com o grupo do São Paulo, segundo quem acompanha o dia a dia do clube. O uruguaio é classificado como uma pessoa discreta, mas muito dedicado a entender o clube e as atividades.

Mas o pouco espaço fazia com a permanência dele para 2023 fosse cada vez menos provável. O uruguaio tem contrato com o São Paulo até o fim do ano, quando o clube decidirá se exerce a opção de compra dos seus direitos por US$ 1,7 milhão (R$ 8,9 milhões). O sentimento se refletia no estafe de Gabriel Neves, que conversava com clubes da argentina para uma saída ainda no meio deste ano.

O jogador despertou interesse do Independiente, da Argentina. Um dos empresários de Gabriel Neves foi até o CT da Barra Funda conversar com os dirigentes do São Paulo sobre a possível negociação. O clube paulista desejava, pelo menos, recuperar os US$ 300 mil que desembolsou quando os agentes dele entraram em um acordo com o Nacional-URU e o levaram para o Tricolor.

Atuações contra o Palmeiras renderam elogios

O ponto de destaque da passagem de Gabriel Neves pelo São Paulo aconteceu nessa semana. Para enfrentar o Palmeiras, Rogério Ceni optou por escalar o meia como primeiro volante, atuando lado a lado com Igor Gomes. Internamente, essa era função vista como a mais indicada para o uruguaio, que apresentou dificuldades quando teve que jogar com o mesmo estilo de Luan.

As atuações de Gabriel Neves nos dois jogos chamaram atenção. O meia se mostrou bastante intenso na marcação e eficiente nas puxadas de contra-ataque. No primeiro jogo, na segunda-feira (20), o São Paulo sentiu a sua saída no segundo tempo. Pablo Maia, que entrou no lugar, não conseguiu ter o mesmo desempenho e a equipe de Rogério Ceni passou a ser sufocada pelo rival.

Na segunda partida, Ceni optou por deixar o uruguaio em campo praticamente o jogo todo. Ele foi substituído nos acréscimos, para a entrada de André Anderson. A segura atuação rendeu elogios do treinador.

"Foi a melhor partida dele desde que eu estou aqui. Foi a partida mais bem jogada dele, conseguiu ficar mais tempo em campo, saiu extenuado. Ajudou bastante hoje, tenho que dar mérito para o jogador. Hoje dou todos os méritos ao time pela maneira como se comportaram, digno do que é o são Paulo como a gente conhece", disse Rogério Ceni.

A tendência é que Gabriel Neves continue como titular para a partida contra o Juventude, amanhã (26), pelo Brasileirão. Mesmo com a recente boa fase do uruguaio, a diretoria são-paulina ainda monitora o mercado em busca de reforços para o setor. Sem Luan, o jovem Pablo Maia e Andrés Colorado, que se recupera de lesão, são as únicas opções de Ceni para a vaga que atualmente é de Gabriel Neves.

São Paulo