PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Inter divide artilharia e supera falta de 'camisa 9' com força coletiva

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

O Internacional não tem um centroavante consolidado. Tanto que o principal alvo na próxima janela de transferências é exatamente um clássico camisa 9. Mas isso não quer dizer que o time de Mano Menezes não marque gols. Depois da vitória por 3 a 0 sobre o Coritiba, ontem (24), a equipe gaúcha assumiu a segunda posição entre os melhores ataques do Brasileirão.

Isso acontece graças à divisão da artilharia. Como não tem um 'homem gol', o Colorado trata de espalhar seus feitos por várias peças do elenco. O artilheiro da equipe na temporada, por exemplo, nem atacante é. Edenilson, autor do segundo gol sobre o Coxa, se isolou como goleador do ano tendo balançado as redes adversárias seis vezes.

O vice-artilheiro da temporada é Wanderson, que marcou cinco. O centroavante que mais gols fez é Alemão, que estufou a rede rival quatro vezes.

"Eu sempre venho trabalhando para evoluir. Sei que é um caminho longo e o Mano [Menezes, técnico] fala isso para mim. O Inter é a maior camisa que eu já vesti na minha carreira. É normal a reação dos torcedores, que querem sempre o resultado, mas eu sempre trabalho para ajudar o time", disse Alemão.

A relação de goleadores tem gente que já deixou o clube, como Rodrigo Dourado e D'Alessandro, quem jogue pouco, como Wesley Moraes e Caio Vidal, e outros tantos atletas, de todas as posições de linha.

A soma, no Brasileirão, coloca a equipe do Sul como segundo melhor ataque, com 21 gols marcados. O primeiro é o Palmeiras, que fez 25.

"Eu recebi uma notícia muito boa, e até surpreendente pelas características que se falava do treinador, que somos o segundo melhor ataque da competição. É sinal que as coisas estão funcionando bem, da maneira que escolhemos. É importante que passemos isso para o torcedor. Quando eu cheguei aqui, todo mundo falava que o Inter brigaria na parte de baixo da tabela. Agora estamos na parte de cima. É mérito do que fazemos. E não podemos pegar só uma parte, é o pacote todo. As coisas estão funcionando bem pelas escolhas que fizemos e uma delas é a maneira que o time se comporta", afirmou Mano.

Para o treinador, a capacidade coletiva tem superado qualquer carência e o entendimento de suas funções coloca todos os jogadores em condições de marcar.

"O fundamental é a clareza de jogar. Assim, vamos mudar os nomes mas não a forma com que o time se comporta. Eu sempre disse que isso seria o primeiro momento do trabalho, dar uma ideia clara de jogo para todos", completou o treinador.

No final de semana, o Inter vai apenas acompanhar a conclusão da rodada torcendo para permanecer no G4. O próximo compromisso vermelho será na terça-feira (28), pela ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana, fora de casa, diante do Colo-Colo.

Internacional