PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Fluminense: 5 pontos positivos para acreditar em uma guinada no 2° semestre

Bruno Fernandes

Colaboração para o UOL, em Maceió

30/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

Uma única derrota em oito jogos desde o retorno às Laranjeiras não significa um sinal de alerta na nova passagem de Fernando Diniz pelo Fluminense. Mesmo perdendo por 2 a 1 para o Flamengo, na noite de ontem (29), o trabalho consistente do treinador tem mostrado que a equipe pode dar uma guinada no segundo semestre de 2022.

Neste ano, a equipe não conseguiu ir muito longe nas competições que disputou. Depois que venceu o Carioca, acabou eliminado da pré-Libertadores pelo Olimpia e, mesmo com goleada por 10 a 1 contra o Oriente Petrolero no último jogo da fase de grupos, também deu adeus à Copa Sul-Americana.

A consistência apresentada por Diniz desde que chegou ao CT Carlos Castilho, no entanto, tem o diferenciado de Abel Braga e resultado em cinco pontos positivos que foi possível notar na última partida e que podem servir como base para um segundo semestre possivelmente promissor para o Tricolor, que ainda tem a Copa do Brasil em seu calendário.

Mais volume

A equipe comandada por Diniz tem apresentado mais volume de jogo e consequentemente chances criadas. Isso ficou claro não só no Fla-Flu, mas também remete um pouco ao 10 a 1 diante do Oriente Petrolero, pela Sul-Americana, na última quinta-feira (25)

Placar enganoso

A derrota por 2 a 1 para o Flamengo não remete ao que de fato foi o jogo e pode até ser considerada enganosa. Foram 62% de posse de bola para o Tricolor contra apenas 38% da equipe rubro negra. Outra diferença nítida também foi o total de chutes a gol (17 contra sete), tanto que o goleiro flamenguista Hugo Souza pode ser considerado o herói do jogo.

Defesa pode melhorar

Desde que Diniz regressou, o Fluminense mudou e isso é fato. Mas um ponto a ser observado é o setor defensivo constituído pelos zagueiros Manoel e David Braz e pelos laterais Samuel Xavier e Yago Felipe, que sofreram seis gols em sete jogos disputados.

Copo meio cheio

Não precisa ser o melhor dos otimistas para ver que estar no meio da tabela com 30 rodadas ainda restantes não é um sinal de que dias piores estão por vir. Com 11 pontos e apenas dois atrás do seleto G4, olhar o copo meio cheio pela proximidade relativa à parte de cima em um momento de boas apresentações pode gerar um certo otimismo para os próximos meses.

A volta do Cachorro Louco

Fora do Fluminense desde o primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, em 30 de março, por causa de uma artroscopia no joelho direito. Felipe Melo está de volta aos gramados, o que também pode dar esperança ao torcedor de um segundo semestre proveitoso. O Cachorro Louco, como é apelidado, foi a campo aos 33 minutos do segundo tempo ao substituir David Braz.

"Demonstramos a nossa força, mas não estamos saindo daqui contentes porque jogamos bem, porque o Fluminense não vive de vitórias em clássicos, vive de títulos. Foi assim no primeiro semestre, vencemos os dois títulos que poderíamos vencer e agora queremos outros também", disse o volante.

Fluminense