PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Inter goleia, mas ataque passa em branco e reforça urgência de contratações

David tem sido o atacante titular do Inter, mas setor está em crise - Pedro H. Tesch/AGIF
David tem sido o atacante titular do Inter, mas setor está em crise Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/05/2022 15h43

Classificação e Jogos

O Inter fez 5 a 1 no 9 de Octubre, mas nenhum de seus gols foi marcado por atacantes. Os jogadores do setor ofensivo seguem provocando dúvidas e o rendimento abaixo do esperado reforça a urgência por reforços no setor.

"Julho [quando a janela de transferências volta a ser aberta] ainda está muito longe, não sei o que vou pensar ainda. Podemos chegar lá com outra ideia, o futebol é dinâmico", despistou o técnico Mano Menezes.

No entanto, a direção do Inter não esconde que o comando de ataque é prioridade e a chegada de um centroavante será o principal movimento de mercado na próxima janela de transferências.

Além disso, o clube considera a utilização de Thiago Galhardo, que volta de empréstimo do Celta, da Espanha. Uma conversa com o jogador e seu estafe servirá para ouvir se há interesse em atuar no Beira-Rio novamente.

Atualmente, Mano tem utilizado David como centroavante e evita fazer qualquer tipo de crítica ao jogador. Ainda que em campo ele não tenha conseguido marcar os gols, o técnico entende que é necessário criar uma estrutura melhor para construir jogadas e que sua participação abre espaço para outros jogadores chegarem ao ataque.

"Se jogamos com o David, temos uma movimentação, mas temos que juntar mais gente com ele, porque não é um homem de área, de acabamento final. Temos que ter uma ideia diferente de construção de ataque. Se tiver um homem mais de área, temos que ter mais cruzamentos, jogadas de linha de fundo", avaliou Mano.

O treinador entende, ainda, que alterar muito o comandante de ataque possa prejudicar a equipe.

"Vamos trabalhar com os jogadores e respeito muito cada um deles. Eles são os mais prejudicados quando se começa a mudar muito. Quando não funciona bem [o coletivo], ninguém serve. É minha responsabilidade dar uma condição de equipe que sustente essas dificuldades que os jogadores têm, porque daí tenho certeza que todos podem contribuir", completou.

Mano se disse tranquilo sobre a ausência de atacantes entre os responsáveis recentes pelos gols do Inter.

"Não tenho preferência por quem faça o gol, desde que seja vermelho, para mim está bom. Claro que sobre os atacante recai uma responsabilidade maior. Tem muita gente que joga bem sem um atacante principal, nós temos é que trabalhar para o time entender como é que se joga com cada formação. Isso é o mais importante", finalizou.

O Inter volta a campo na segunda-feira (30) para encarar o Atlético-GO, pelo Brasileirão.

Internacional