PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Perícia contratada por Rafael Ramos alega que corintiano não falou 'macaco'

Edenílson, do Inter, discute com Rafael Ramos, do Corinthians em jogo no Beira-Rio - MAX PEIXOTO/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO
Edenílson, do Inter, discute com Rafael Ramos, do Corinthians em jogo no Beira-Rio Imagem: MAX PEIXOTO/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Jeremias Wernek e Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

20/05/2022 20h39

Classificação e Jogos

O Centro de Perícias de Curitiba, contratado pelo escritório de advocacia responsável pela defesa do lateral Rafael Ramos, emitiu parecer técnico afirmando que o jogador português do Corinthians não chamou o volante Edenílson, do Internacional, de "macaco" durante o encontro entre as duas equipes, no Beira-Rio, no último sábado (14).

Os peritos Anderson Marcondes Santana Júnior, Daniela Cristina Silva Lima Ramos Guidugli e Giovana Giroto analisaram o vídeo de 28 segundos da transmissão da partida pelo canal Premiere e, após leitura labial com base na fonética articulatória e fonologia articulatória, concluíram que "a fala questionada observada no vídeo apresentado trata-se da expressão 'Pô, caralho!'".

Transcrição do vídeo

00:00:03.243 a 00:00:03.623 - Rafael Ramos: "Eiii..."

00:00:07.263 a 00:00:08.503 - Rafael Ramos: "Cê tá loco?!"

00:00:07.463 a 00:00:07.503 - Edenílson: "maluco!"

00:00:09.503 a 00:00:10.623 - Rafael Ramos: "Pô, caralho!"

Ainda segundo o documento, a pronúncia da letra 'm' apenas pode ser pronunciada — independentemente do idioma e do dialeto — com a junção dos lábios, o que não é possível observar na fala de Rafael Ramos a Edenílson. Portanto, a hipótese do português ter dito a palavra "macaco", o que configura a injúria racial, estaria descartada.

"A palavra 'macaco' não consta na fala questionada, ficando comprovado que em nenhum momento houve a junção labial no início da pronúncia, com a formação da sílaba 'ma', conforme imagens abaixo demonstradas 'frame a frame' contendo informações de tempo, conforme o vídeo recebido para perícia", diz trecho do laudo.

Os serviços prestados pelo Centro de Perícias de Curitiba foram contratados pelo escritório Bialski Advogados Associados, que representa o lateral do Corinthians no caso. O trabalho de perícia foi realizado nos dias 19 e 20 de maio e o parecer técnico foi emitido hoje (20).

De acordo com a Polícia Civil, o jogador falou outra frase ao descrever a discussão com Edenilson. "Foda-se. mano, caralho" é a frase que consta no depoimento de Rafael Ramos logo depois da partida. A ocorrência ainda não foi disponibilizada para consulta pública.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul aguarda laudo técnico do IGP (Instituto Geral de Perícias) para concluir o inquérito do caso. A delegada Ana Luisa Caruso, da 2ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, enviou os vídeos para a perícia de leitura labial na última terça-feira (17). O IGP tem até um mês para concluir a análise, mas planeja apresentar parecer antes do final do prazo.

Corinthians