PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2022

Bustos vê Santos mal, mas considera derrota contra o Goiás injusta

Fabián Bustos, técnico do Santos, durante partida contra o Goiás na Serrinha pelo Brasileirão 2022 - Isabela Azine/AGIF
Fabián Bustos, técnico do Santos, durante partida contra o Goiás na Serrinha pelo Brasileirão 2022 Imagem: Isabela Azine/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/05/2022 23h39

Classificação e Jogos

O técnico Fabián Bustos reconheceu a partida ruim feita pelo Santos diante do Goiás, na noite de hoje (15), no estádio da Serrinha, mas avaliou como um resultado injusto a derrota por 1 a 0.

"Não jogamos um bom jogo, como vínhamos fazendo. Muitos pontos fracos. Um pouco de cansaço, mas não há desculpa. Dominamos a bola, mas não estivemos firme na defesa e nem claros no ataque. Chegamos muito, mas sem eficiência", avaliou o treinador santista.

Para o argentino, que fez questão de não desmerecer o trabalho do Esmeraldino, o placar não fez jus ao que ocorreu dentro de campo.

"Não quero tirar o mérito do rival, que fez seu jogo, mas me parece injusta a derrota. Não jogamos bem, mas o jogo foi parelho. O pênalti foi em uma jogada isolada. Não estivemos à altura do que fizemos, mas a derrota foi injusta", repetiu.

Entre as lições tiradas do confronto dessa noite, a palavra do comandante do Peixe, que citou o duelo contra o Coritiba, no meio de semana, foi "paciência".

"Outro dia, na Copa do Brasil, dominamos o primeiro tempo e tivemos paciência. Hoje, não. Pode ser o cansaço, mas isso não pode ser desculpa. Temos que saber que, para abrir um jogo contra um time com muita gente atrás da bola, temos que ter paciência, ter triangulações, temos que ser mais agressivos e melhorar a finalização", avaliou o técnico.

O Alvinegro Praiano volta a campo às 21h30 (horário de Brasília) de quarta-feira (19), quando recebe o Unión La Calera, do Chile, pela Copa Sul-Americana.

Veja outras respostas de Fabián Bustos na coletiva de imprensa:

Maicon volta após ser poupado

"Vínhamos jogamos muitos jogos seguidos, e preservamos o Maicon para o jogo de hoje, que era importante."

Muitas finalizações, pouca efetividade. Como avalia?

"Não estivemos no nosso nível em geral, nenhum jogador. Pela esquerda, tivemos 23 cruzamentos e cinco foram bons. Foram muitas finalizações, mas sem efetividade. Faltou sensibilidade para melhorar os cruzamentos. Eles fizeram seu trabalho, por isso não podemos tirar o mérito. Mas não estivemos à altura do que realizamos nos últimos jogos."

Resultados em casa e fora. Como equilibrar?

"Temos que ir jogo a jogo. Jogamos dez fora e cinco em casa. É uma loucura o calendário, por isso os melhores foram em casa. O primeiro pela Copa do Brasil conta como empate, mas foi um jogo só, fora de casa, com um a menos, que passamos. E ganhamos em Quito. Depois, perdemos por um gol, como contra o São Paulo e o Palmeiras. Temos que garantir os resultados e melhorar fora de casa."