PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Com a benção de Victor: Everson supera críticas e vira ídolo no Atlético-MG

Everson e Victor posam com a taça da Supercopa do Brasil conquistada pelo Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Everson e Victor posam com a taça da Supercopa do Brasil conquistada pelo Atlético-MG Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

23/02/2022 04h00

Classificação e Jogos

Everson foi um dos jogadores do Atlético-MG mais festejados pela torcida após a conquista da Supercopa do Brasil, afinal de contas, o goleiro defendeu três cobranças de pênaltis do Flamengo. Em duas defesas o Rubro-Negro teve a chance de acabar com a disputa e ficar com o título. Quando pegou a penalidade batida por Vitinho, Everson levou o Galo ao terceiro título nacional em um intervalo inferior a três meses.

Goleiro titular nas campanhas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, além da conquista da Supercopa e convocado para a seleção brasileira, Everson já é tratado como ídolo entre os atleticanos. Algo inimaginável há pouco mais de um ano. No fim de janeiro de 2021, o clube teve de pedir para que alguns torcedores parassem com os ataques virtuais à esposa do goleiro. Constantemente, Rafaela Vieira era alvo da ira de atleticanos inconformados com a titularidade de Everson, e o fato de Rafael estar no banco de reservas.

Consolidado na meta alvinegra, Everson evitou que o Atlético sofresse com um problema comum em clubes que tiveram um ídolo por muito tempo no gol. Victor foi o dono da posição entre 2012 e 2019 e entrou para história do Galo com uma série de pênaltis defendidos, o mais importante deles contra o Tijuana, na vitoriosa campanha na Copa Libertadores de 2013. Quando Victor se aposentou, em fevereiro de 2021, a lacuna de um goleiro confiável foi rapidamente preenchida.

Everson defendeu três pênaltis do Flamengo na Supercopa do Brasil - Pedro Souza/Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético-MG
Everson defendeu três pênaltis do Flamengo na Supercopa do Brasil
Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Assim como o antigo dono da camisa 1, Everson mudou sua história ao defender dois pênaltis na disputa com o Boca Juniors, pelas oitavas de final da Libertadores do ano passado.

"Estou aqui há um ano e meio e aprendi a viver o Atlético. O Atlético é isso ai, é sofrimento", disse o titular do gol atleticano, após a emocionante disputa de pênaltis com o Flamengo.

A idolatria que Everson carrega é fruto do trabalho duro ao lado dos outros arqueiros do elenco e do treinador de goleiros, Rogério Maia. Mas tem também a benção de Victor, que hoje é gerente de futebol do Atlético e mantém ótima relação desde o primeiro dia de Everson na Cidade do Galo. Então contratado junto ao Santos, por indicação do técnico Jorge Sampaoli, Everson foi recebido por Victor na Cidade do Galo. Nos primeiros meses, ambos eram companheiros time.

Apesar da disputa por posição, Everson jamais ficou sem uma palavra de incentivo ou conselho dado por Victor. Desde o primeiro jogo pelo clube, diante do Red Bull Bragantino, pela décima rodada do Brasileirão de 2020.

"Fiquei até surpreso, na minha estreia. Acabando o primeiro tempo, fiz minha oração, que eu sempre carrego o terço comigo e, quando me levantei, olhei para frente e estava o Victor ali parado, respeitando meu momento, mas esperando pra me cumprimentar pelo primeiro tempo", lembrou Everson, após a conquista do Brasileirão do ano passado.

A rotina seguiu jogo por jogo, enquanto Victor ainda era jogador e ficava no banco de reservas. O camisa 1 sempre entrava em campo após o término de cada tempo para abraçar o novo titular do Galo. Agora dirigente, Victor não adentra mais o campo, mas segue com os conselhos e os incentivos a Everson.

"Todo goleiro está sujeito a ter momentos de instabilidades e ter dias infelizes. Eu já vivi muito isso também. A diferença do goleiro regular e o acima da média é saber reagir aos momentos de dificuldades. Tem que ter uma estrutura emocional muito forte para poder superar. Isso que a gente enxergou no Everson. Não me surpreende o momento que ele vive porque acompanho o dia a dia, o quanto se dedica, trabalha, se prepara. Está colhendo os frutos disso tudo", disse Victor, em entrevista à ESPN, no fim de 2021.

De contrato renovado até dezembro de 2025, Everson tem tudo para ficar um bom tempo no gol do Atlético. Com a benção de Victor, o atleticano não tem do que reclamar.

Atlético-MG