PUBLICIDADE
Topo

SPFC ainda não assinou rescisão e pagará atrasados a Pablo até fim de 2023

Pablo, do São Paulo, comemora gol contra o 4 de Julho - Marcello Zambrana/AGIF
Pablo, do São Paulo, comemora gol contra o 4 de Julho Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Brunno Carvalho e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

27/01/2022 04h00

O São Paulo acertou os detalhes que faltavam para a rescisão do contrato de Pablo. Apesar de o acordo ainda não ter sido assinado, as partes já sabem como serão feitos os pagamentos.

O atacante aceitou rescindir seu contrato contanto que o São Paulo pague os valores que estavam atrasados. O UOL Esporte apurou que a quantia se aproxima de R$ 2,5 milhões e será paga até o fim de 2023.

O prazo foi uma exigência do estafe de Pablo. O contrato dele se encerraria em 31 de dezembro de 2023, e o atacante espera iniciar 2024 sem nenhuma pendência com o São Paulo.

Em entrevista ontem (26) ao jornalista Jorge Nicola, o presidente Julio Casares afirmou que o São Paulo manterá 30% dos direitos econômicos de Pablo, informação confirmada pela reportagem com pessoas envolvidas na negociação. Ele estimou que o clube deixará de gastar um valor próximo de R$ 14 milhões com a ruptura do contrato.

No acordo ainda foi inserida uma cláusula de proteção a Pablo contra atrasos. O estafe do atacante teme que o São Paulo volte a descumprir suas obrigações financeiras com o jogador e exigia na negociação a estipulação de uma multa ou a antecipação dos pagamentos caso o time do Morumbi atrasasse as parcelas.

Mesmo sem ter caído nas graças da torcida, Pablo encerrou sua passagem pelo São Paulo tendo sido artilheiro de duas das três temporadas em que atuou. Ao todo, ele disputou 121 jogos, com 32 gols marcados e 11 assistências.