PUBLICIDADE
Topo

Por que o Flamengo puxa freio de mão e não repete agressividade no mercado

Gabigol e Arrascaeta são apresentados para a torcida do Flamengo no Maracanã. Ao contrário de anos anteriores, clube está tímido no mercado - Alexandre Vidal/Flamengo
Gabigol e Arrascaeta são apresentados para a torcida do Flamengo no Maracanã. Ao contrário de anos anteriores, clube está tímido no mercado Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/01/2022 04h00

Habituado ao papel de bicho-papão no mercado da bola, o Flamengo adota a cautela como lema e ainda estuda suas carências internas antes de avançar na busca por reforços.

Ao contrário dos seus principais rivais, o Fla ainda não contratou reforços e há razões para essa postura mais conservadora. A maior delas, é claro, a certeza de que o elenco que já está no clube está à altura das expectativas do torcedor.

Isso não significa que a direção não esteja se movimentando, é claro, mas o cardápio de alternativas que o técnico Paulo Sousa tem em mãos é considerado suficiente para um primeiro momento.

Em 2019 e 2020, primeiros anos da gestão de Rodolfo Landim, os rubro-negros foram às compras com apetite e trouxeram, ainda nos primeiros dias do ano, nomes como Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique, Rodrigo Caio, Pedro e Michael, entre outros.

Além de o grupo naqueles momentos ter carências mais evidentes, o que fez com que o Fla abrisse os cofres, a alta da moeda ajuda a explicar o pé no freio. Embora o clube esteja em situação financeira para lá de saudável, a explosão do euro e do dólar impacta diretamente nas pretensões rubro-negras.

Diante da situação econômica global, o Fla mantém a tranquilidade e dá tempo para o técnico português conhecer melhor os seus comandados. Com mais informações em mãos, Sousa terá uma visão mais clara das lacunas reais do elenco e o Fla espera minimizar a margem de erros desta forma. A tendência é que ao menos três nomes sejam incorporados, mas o luso espera aproveitar a base mais do que seus antecessores.

Há também a necessidade de saber quais serão os focos a serem atacados, visto que o clube ainda pode perder nomes como Michael, por exemplo. Após solicitação do Chelsea, Kenedy já voltou ao clube inglês. Um nome que foi avaliado pela direção, o argentino Barco está a caminho do River Plate (ARG).

Enquanto as chegadas não são concretizadas, o clube faz o caminho inverso e cuida da manutenção do grupo que levantou praticamente todos os títulos disponíveis em um passado recente. Prioridade número 1 do departamento de futebol, Arrascaeta renovou até 2026 e o "fico" foi festejado intensamente na Gávea.

Outra aresta a ser aparada é a permanência de Andreas Pereira, que tem contrato até a metade de 2022. O Flamengo já enviou proposta oficial de compra ao Manchester United (ING), mas os ingleses ainda não deram o retorno formal, ainda que tenham enviado sinais de que a negociação não será simples.