PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro mantém defesa invicta, supera Bragantino e avança na Copinha

Partida entre Cruzeiro e Bragantino, na segunda fase da Copinha - EDUARDO CARMIM/ESTADÃO CONTEÚDO
Partida entre Cruzeiro e Bragantino, na segunda fase da Copinha Imagem: EDUARDO CARMIM/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/01/2022 19h16

Classificação e Jogos

Com uma vitória por 1 a 0, o Cruzeiro passou pelo Bragantino no estádio Coronel Francisco Vieira, em Itapira, e garantiu uma vaga na terceira fase da Copinha. Alex Matos, aos 17 do primeiro tempo, anotou o gol que garantiu o triunfo do time na tarde de hoje (13).

A defesa da equipe mineira ainda não foi vazada nas quatro partidas que disputou na Copinha. Já o ataque chegou ao seu 11º gol anotado.

Na segunda fase, a Raposa volta a enfrentar o Retrô, que bateu por 2 a 1. Na etapa anterior, a Celeste bateu o clube pernambucano por 2 a 0 pelo Grupo 20. O duelo ainda terá data e local confirmados pela FPF, mas deve acontecer neste sábado (15), em Itapira.

Cruzeiro começa melhor, Braga equilibra

O time mineiro iniciou melhor o confronto e abriu o placar aos 17 minutos, com Alex Matos. Daniel bateu cruzado e o goleiro Jorge Ramos se atrapalhou com o quique da bola, só espalmando para o lado. A bola ficou nos pés de Alex Matos, que só teve o trabalho de empurrar para a rede.

Depois disso, o Massa Bruta conseguiu equilibrar as ações e o embate passou a ser mais disputado no meio, sem grandes lances perigo. Juliano, do Bragantino, bateu perto do gol aos 24.

Chance incrível

Victor Diniz perdeu um gol inacreditável para o Cruzeiro aos 37 da primeira etapa. Após cruzamento de Kaiki pela esquerda, ele apareceu sozinho na pequena área para finalizar. No entanto, acabou pegando muito embaixo da bola e mandou por cima da meta.

Expulsão dos dois lados

Ainda no primeiro tempo, aos 44, Breno acertou uma joelhada em Juliano e recebeu o segundo amarelo, sendo expulso. Ele já havia sido advertido aos 25, por outra falta no mesmo atleta.

Porém, o zagueiro Taillan precisou apenas de oito minutos após o intervalo para deixar as duas equipes com 10. O zagueiro da equipe de Bragança Paulista recebeu o amarelo por 3 por uma entrada em Ageu e, pouco depois, voltou a chegar atrasado e acertou Vitor Roque, sendo novamente advertido com o cartão.

Massa Bruta não conclui

Apesar do equilíbrio nas ações de ataque, o time paulista não conseguia finalizar suas jogadas. Por outro lado, a Raposa continuava ameaçando e fazendo o goleiro Jorge Ramos trabalhar. Aos 9, Vitinho matou no peito e chutou para o gol, contudo o guarda-redes fez uma bela defesa.

Aos 17, o técnico Erick Martins trocou os centroavantes, colocando Gui na vaga de Whallyson Ribeiro, mas não conseguiu resolver o problema na conclusão do Braga.

Nos minutos finais, o clube paulista ensaiou uma pressão e chegou a colocar todos atletas no campo ofensivo. Entretanto, o problema na hora de bater no gol persistiu e o goleiro Denivys não foi ameaçado. A Celeste ainda teve um grande contra-ataque com Vitor Roque, que Kawata conseguiu afastar.

Sem mudar

Com uma grande primeira fase, com 10 gols marcados e nenhum sofrido, o técnico Mário Henrique não trocou ninguém do meio frente na Raposa. Dono da camisa 9, Vitor Roque entrou apenas aos 8 do segundo tempo, mesmo recuperado da covid-19.

Os jogadores que atuaram pelo Cruzeiro foram: Denivys; Geovane, Matheus Vieira, Paulo e Kaiki (Bolívia); Miticov, Ageu, Breno e Daniel (Vitinho); Alex Matos (Riquelmy) e Victor Diniz (Victor Roque).

Futebol