PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Alvo do Cruzeiro, Rafael Cabral está na Europa desde 2013, mas mal jogou

Rafael Cabral, goleiro do Reading - Jordan Mansfield/Getty Images
Rafael Cabral, goleiro do Reading Imagem: Jordan Mansfield/Getty Images

Lohanna Lima

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte, MG

13/01/2022 04h00

Nome da vez para a assumir a vaga deixada por Fábio no gol do Cruzeiro, o goleiro Rafael Cabral vive na Europa desde 2013 quando foi vendido pelo Santos ao Napoli, da Itália. O jogador saiu do Brasil com 23 anos, após conquistar o tricampeonato paulista, a Copa do Brasil de 2010 e a Libertadores de 2011. Apesar da pouca idade, Rafael chegou ao Velho Continente com um currículo de peso e como uma grande promessa da posição, mas a carreira por lá não decolou como se imaginava.

Rafael ficou em Nápoles por cinco anos. Em 2018, ele optou por não renovar o contrato justamente porque desejava ter mais oportunidades como titular. O goleiro teve boas atuações pelo clube italiano, foi campeão da Copa da Itália 2013/2014 pegando pênalti na decisão, mas perdeu espaço após a contratação do goleiro espanhol Pepe Reina. Ao todo, foram 45 jogos, sendo a grande maioria deles na temporada 2014/2015.

Rafael despertou o interesse da Fiorentina, segundo a imprensa italiana, mas se transferiu para a Sampdoria para a temporada de 2018/2019. Por lá, o jogador teve menos espaço ainda e atuou em apenas quatro jogos, até que se transferiu para o Reading, que disputa a Segunda Divisão na Inglaterra.

Segundo pessoas ligadas ao jogador, Rafael optou por jogar no clube inglês pois o projeto do clube em busca do acesso à primeira divisão soava interessante. Além disso, a qualidade de vida que o país proporciona para ele e para sua família pesou na decisão.

Em seu primeiro ano no Reading, na temporada 2019/2020, o atleta foi titular e atuou em 46 jogos no ano. A equipe até chegou a brigar para figurar entre os postulantes ao acesso à Premier League, mas perdeu o fôlego na reta final e terminou na sétima colocação. Na temporada atual, Rafael também começou como titular, jogou seis partidas, mas perdeu a posição após uma lesão na mão.

Rafael caminha para uma rescisão amigável com o clube inglês, que tem tido dificuldades para se adequar ao Fair Paly Financeiro e precisa cortar custos. O contrato do jogador vai até junho deste ano.

Futebol