PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Nutricionista pede R$ 1,2 milhão do Cruzeiro na primeira ação contra a SAF

Ronaldo concede entrevista sobre a situação do Cruzeiro - Rodrigo Sanches/Cruzeiro
Ronaldo concede entrevista sobre a situação do Cruzeiro Imagem: Rodrigo Sanches/Cruzeiro

Thiago Braga

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/01/2022 12h00

O ex-jogador Ronaldo anunciou em 18 de dezembro do ano passado que estava adquirindo 90% das ações da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) do Cruzeiro. Pelo montante, terá de investir R$ 400 milhões no clube mineiro pelos próximos cinco anos. Na última terça-feira (11), Ronaldo concedeu a primeira entrevista desde que virou acionista majoritário da Raposa. "A cada dia que abrimos uma gaveta, encontramos uma surpresa negativa", disparou, com uma sinceridade ímpar.

Com o Cruzeiro chegando perto de ultrapassar a casa do bilhão em dívidas, os credores veem a SAF como solução para poder receber os créditos a que têm direito. O primeiro a lançar mão deste expediente foi o nutricionista Guilherme Gomes.

A defesa do nutricionista pede "a inclusão do Cruzeiro SAF como nos autos, vez que evidente cristalina e notória a sucessão havida, outrossim, entendendo-se pela configuração de grupo econômico entre os demandados", alega.

Gomes trabalhou no clube mineiro de julho de 2015 até janeiro de 2020. Na Justiça, ele pede o pagamento de horas extras, férias, 13º salário e FGTS. Além disso, quer que o clube mineiro arque com o pagamento em triplo de todos os domingos em que ele trabalhou, assim como os repousos semanais remunerados. Segundo a defesa, "não havia concessão de folga em outro dia da semana".

A defesa também pede que o Cruzeiro pague premiações que alega não terem sido pagas em 2017 e 2018, além de honorários, totalizando R$ 1, 211 milhão.

Pela lei da SAF, os débitos feitos pelos clubes serão pagos pela própria associação. Para isso, a Sociedade Anônima do Futebol tem que destinar 20% de suas receitas e 50% dos dividendos para o clube.

"Não pairam dúvidas que há efetivo evidente e cristalina sucessão trabalhista. Pelo que deve o Cruzeiro Esporte Clube - Sociedade Anônima De Futebol vir a compor o
pólo passivo da presente lide. Não pode o executado simplesmente não pagar, não negar o débito, e, simplesmente receber chancela de blindagem de seu patrimônio em desfavor do trabalhador", finaliza a defesa de Guilherme.

A reportagem procurou a assessoria do ex-jogador Ronaldo, que indicou que a resposta seria dada pela assessoria de imprensa da Raposa. "O Cruzeiro não comenta processos em andamento e, neste caso em específico, ainda aguarda citação", afirmou o clube mineiro, em nota.

Futebol