PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fala, Maurão: Hoje, campo sintético é muito mais solução do que problema

Siga o UOL Esporte no

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

09/12/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Bruno José Daniel, estádio do Santo André, será mais um do Paulistão a contar com grama sintética. Para Mauro Cezar Pereira, que abordou o tema no quadro "Fala, Maurão", o aumento do número de campos artificiais não é um problema, mas, sim, uma solução em cenários onde não há um gramado natural adequado.

"Hoje a tecnologia que existe nesses gramados é muito grande. O campo do Athletico, que é pioneiro entre os times de primeira divisão, é muito melhor do que muitos gramados naturais ruins que existem por aí", analisa o colunista do UOL Esporte.

"Não acho que isso signifique um problema. É uma solução encontrada num cenário onde você, muitas vezes, não consegue ter um gramado adequado. Os times que jogam no campo do Athletico e do Palmeiras já vão se acostumando. Isso não é um problema", acrescenta.

Apesar de apontar o gramado natural como favorito, Mauro Cezar defende o campo sintético desde que ele ofereça qualidade aos jogadores depois que a bola rola.

"É claro que o ideal seria gramado natural. Na Premier League, por exemplo, a grama tem que ser natural. Aqui no Brasil, por uma série de razões, nem sempre tem o gramado bom", pontua.

"Hoje, é muito mais uma solução do que um problema, e os times vão se habituando, desde que seja um gramado de boa qualidade, com tecnologia, que se aproxime ao máximo da grama natural no momento em que a bola rola", completa.

O Bruno José Daniel estreará sua grama sintética de maneira oficial no jogo entre Corinthians e Santo André, previsto para o dia 30 de janeiro, pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

Futebol