PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Os grandes vilões do fiasco do Flamengo são os dirigentes

Do UOL, em São Paulo

03/12/2021 18h56

O Flamengo define amanhã quem vai administrar o clube nos próximos três anos, com o atual presidente Rodolfo Landim concorrendo e apontado como favorito à reeleição contra os demais candidatos Marco Aurélio Assef, Ricardo Hinrichsen e Walter Monteiro. Mauro Cezar Pereira chama a atenção para o silêncio do atual mandatário dias depois da perda da Libertadores e alerta para o risco de que o clube tenha o domínio de um mesmo grupo.

No podcast Posse de Bola #183, o jornalista ressalta a importância de haver contestações e ressalta que, embora a administração tenha sido boa no aspecto financeiro, deixou a desejar em decisões tomadas no futebol.

"O Landim não falou nada. Tem eleição amanhã e o Landim não dá entrevista, não explica quais são seus planos para o futebol, não explica nada, e impressionante, um silêncio sepulcral. E é muito importante que a oposição no Flamengo, mesmo não vencendo, que ela seja votada, eu vou falar aqui, por muitos sócios, porque o Flamengo não pode ficar nas mãos de um grupo, seja ele qual for, nem que eles fossem excelência na gestão", diz Mauro.

"No ambiente democrático tem que haver alguma disputa, tem que haver alguém que conteste, pelo menos conteste alguns aspectos. Então, tomara que a oposição tenha uma margem razoável de votos até para ele não ter o controle dos conselhos, que é o que hoje quer a situação, controlar todos os conselhos do clube e com isso ter o poder absoluto. Isso não é bom, especialmente para uma diretoria que tem muitos acertos na gestão financeira e que erra muito no futebol por conta de uma postura autossuficiente, que foi o que afundou o Flamengo", completa.

Mauro Cezar afirma que, mais até do que os jogadores e o próprio Renato Gaúcho, técnico que deixou o clube na última segunda-feira (29), a direção tem culpa por uma temporada na qual o Rubro-negro fracassou no Brasileirão, na Copa do Brasil e na Libertadores.

"Os grandes vilões do fiasco de temporada do Flamengo, para mim é fiasco, são os dirigentes em primeiro lugar, depois o Renato, que foi inventado por eles, depois vêm os jogadores, falha de jogador, isso tudo para mim é secundário, eles são os caras que deixam as digitais encravadas no fracasso do Flamengo em 2021 e isso não pode ser esquecido", afirma.

"O cara que é sócio e é torcedor, reflita sobre isso, porque dar todo o poder para esse grupo é algo muito perigoso para o Flamengo. O que eu falei há pouco do Atlético-MG, que eu acho muito perigoso você ficar nas mãos de alguém por uma questão financeira, também é muito perigoso ficar nas mãos de um grupo por uma questão política, um grupo que quer dominar tudo e que comete erros crassos, como cometeu no início, quando contratou o técnico errado na primeira gestão, aí apareceu o Jesus para consertar os erros que eles cometeram e agora fizeram outra bobagem, contratando o técnico que tomou de 5 a 0", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol