PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Scarpa revela papo com Abel antes da final: 'Vai sobrar para mim'

Gustavo Scarpa comemora conquista da Libertadores com skate na mão - Andres Cuenca Olaondo/Reuters
Gustavo Scarpa comemora conquista da Libertadores com skate na mão Imagem: Andres Cuenca Olaondo/Reuters

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

29/11/2021 19h41

O meia Gustavo Scarpa, do Palmeiras, participou hoje do programa ESPN FC e, muito bem-humorado, falou bastante sobre os bastidores da final da Libertadores, que o Palmeiras venceu por 2 a 1 na prorrogação.

Na finalíssima, Gustavo Scarpa não atuou na posição em que está mais acostumado, como meia-armador. Na entrevista, o atleta contou como recebeu a notícia do técnico Abel Ferreira:

"Ele (Abel) chamou os 11 titulares e falou: 'bom, a gente vai precisar se sacrificar'. Aí já pensei: 'mano, vai sobrar para mim', eu já estava preparado. Aí ele perguntou: 'quem é o ponta do nosso time que vai ter que marcar mais?' e nem respondi, os caras é que responderam que era eu. Aí ele olhou para mim, eu falei que já esperava. Só não esperava entrar do outro lado, porque vinha jogando pela direita. Foi um pouco de surpresa, eu estava muito nervoso antes do jogo, arrepiado no aquecimento, gritando de emoção, mas na partida o pessoal me passou confiança e fiquei bem à vontade."

O meia, que jogou a final improvisado de lateral, ainda completou os bastidores da história:

"Abel até me falou 'fica como ponta antes de o árbitro apitar, mas depois já vai para trás'. Era só para confundir mais ainda. Mas foi muito legal. Eu não entendo muito o que o Piquerez fala, porque é só espanhol, mas mesmo assim deu certo, a gente se entendeu. Durante o jogo, comecei a ir um pouco mais para frente e não recebia a bola, pensei 'quer saber? No segundo tempo tem Michael, vai que o Bruno Henrique vem para cá. Vou ficar aqui atrás e guardar fôlego'", explicou em meio à risadas.

Scarpa também revelou que já havia pedido para disputar vaga na lateral, por mais que não esperasse jogar nessa posição na grande final.

"Nos últimos dois meses, quando deixei de ser titular, pedi ao Abel para brigar pela vaga de lateral. Porque não me sinto muito à vontade como ponta, prefiro jogar de lateral esquerdo do que de ponta, mas eles não deixaram. Aí na hora de montar o time, quando ele nos chamou para conversar, deu até risada. 'Não queria jogar de lateral? Está aí, e no momento crítico'"

A final da Libertadores foi apenas no último sábado (27), mas Gustavo Scarpa afirmou que desde o começo da semana, quando descobriu em qual posição jogaria, já estava se preparando mentalmente:

"O Abel nos reuniu numa sala e mostrou o time que jogaria já na segunda-feira (22). Aí já fui colocando na cabeça o que precisaria fazer, como marcar, me preparar mentalmente. Foi uma experiência diferente."

Sobre as decisões de Abel Ferreira, Scarpa enalteceu o viés tático e a dedicação do português à análise e aos estudos dos adversários.

"O Abel tem as ideias dele e é fiel aos pensamentos dele. É importante ter um treinador assim, agora sobre a permanência dele ou não é muito particular. Nossa equipe tem se consolidado taticamente já há um bom tempo e essa conquista contra uma equipe tão boa, nos fez amadurecer muito"

Gustavo Scarpa ainda completou:

"Dos treinadores que já tive na carreira, ele é o que mais mostra vídeos, lances, é muito apegado a essa questão tática. Às vezes ele erra, mas não deixa de mostrar para a gente o que ele quer no campo. Eu entrei na final sabendo 100% o que precisaria fazer e isso deixa o jogador mais à vontade."

A final da Libertadores teve alta dose de tensão e um herói improvável, Deyverson, que é conhecido no elenco por ser 'uma figura' . Sobre o gol do atacante que confirmou o título do Palmeiras, Scarpa revelou que nem estava pensando no gol, e sim em Deyverson:

"Quando ele fez o gol, eu lá do outro lado nem fui comemorar. Quis guardar minhas energias, concentrar no jogo, porque o time dos caras é bom. Aí chamei o Deyverson. 'Relaxa, você vai entrar de vez na história do clube'. Ele falou que estava muito cansado, aí respondi 'já que está cansado, não fica discutindo, concentra no jogo e esquece o resto'", finalizou Gustavo Scarpa.

O Palmeiras, com o título, conquistou sua segunda Libertadores em sequência e a terceira em sua história, mas volta a campo já amanhã, em jogo contra o Cuiabá, válido pelo Brasileirão.

Palmeiras