PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro vê transformação em clube-empresa próxima de acontecer

Sérgio Santos Rodrigues diz que Cruzeiro deve se transforar em SAF nos próximos dias - Bruno Haddad/Cruzeiro
Sérgio Santos Rodrigues diz que Cruzeiro deve se transforar em SAF nos próximos dias Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

29/11/2021 04h00

"A primeira SAF do Brasil", assim o presidente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues, mostra entusiasmo com a transformação em clube-empresa. E não é por menos a empolgação do dirigente. Sem a entrada de novos recursos, através dos investidores, o Cruzeiro não voltará a ter um time competitivo.

Sufocado por dívidas e fora da Série A por duas temporadas consecutivas, e com a certeza de que ficará pelo menos mais um ano na Série B, o Cruzeiro deixou de ser o clube que ganhou quatro taças nacionais na década passada para se tornar um mero participante da Segunda Divisão. Em dois anos, em nenhum momento a equipe celeste brigou pelo acesso.

Desde a aprovação da lei que permite que os clubes se transformem em SAF (Sociedade Anônima de Futebol), em julho, a diretoria executiva intensificou o trabalho para que o Cruzeiro vire um clube-empresa. Inclusive, a XP Investimentos se tornou uma parceira nesse processo. A empresa foi avalista para a Raposa conseguir levantar recursos para se manter no primeiro semestre de 2022, até a entrada do dinheiro dos possíveis investidores.

"Acredito que vai chegar por tudo que está acontecendo", disse o presidente Sérgio Rodrigues, que desde que assumiu o cargo, em junho de 2020, trabalha para esse momento. O clube-empresa sempre foi uma bandeira do dirigente.

Agora, muito perto de alcançar seu grande objetivo, Sérgio Rodrigues já projeta um Cruzeiro brigando por títulos. "O lugar do Cruzeiro é disputando título. Nunca vou estar tranquilo enquanto o clube não voltar a disputar o título da Copa do Brasil, da Série A. Sinto o que o torcedor sente. Tranquilo, nunca. Mas garanto que vai acontecer", completou.

Com o término da temporada, o Cruzeiro vai se tornar um clube-empresa. Os novos contratos com jogadores já serão registrados no novo CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica), assim como os acordos remanescentes serão transferidos para esse 'novo Cruzeiro'. Todo o processo precisa acontecer entre uma temporada e outra, para que o clube não tenha nenhum tipo de problema para regularizar os atletas para disputar as competições

Futebol