PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Lavieri: Abel tem tirado as pedras no sapato do Palmeiras. Falta o Flamengo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

27/11/2021 04h00

Classificação e Jogos

Palmeiras e Flamengo decidem a Libertadores hoje (27), em Montevidéu. As equipes chegam à decisão continental em meio a uma rivalidade que cresceu nos últimos anos, com direito a jogos importantes e provocações.

Na Live UOL Esporte Especial, transmitida pelo UOL Esporte na véspera da decisão, os colunistas Danilo Lavieri, Alicia Klein, Renato Maurício Prado e André Rocha fizeram uma prévia do duelo.

Ao conversarem sobre o jogo, Renato Maurício Prado, em tom bem-humorado, disse que faria uma provocação e leu as escalações dos dois times, na última vez em que houve o confronto, indicando que o Rubro-Negro não foi a campo com força máxima.

"Eu vou fazer uma provocação, não resisto. No último jogo entre Flamengo e Palmeiras, o Flamengo teve um time muito mais fraco que o que vai jogar amanhã. Final do jogo: Flamengo 3, Palmeiras 1. Será que o Renato Gaúcho não teve nenhum mérito neste jogo? Neste jogo, pelo menos, não sei se vocês discordam, o Palmeiras entrou com um time mais forte, e jogando no Allianz Parque. Foi 3 a 1 para o Flamengo", disse.

Danilo Lavieri, então, lembrou que o Verdão vem encontrando dificuldades frente ao clube da Gávea há algumas temporada.

"E mesmo antes, Renato. Vamos lembrar o jogo que ficou marcado pelo surto de covid, aquele jogo que quase não rolou, e que rolou com atraso, o Flamengo entrou cheio de garotos e conseguiu o empate no Allianz, e o Palmeiras com força máxima", apontou.

O colunista do UOL Esporte ressaltou, por outro lado, que Abel Ferreira tem conseguido quebrar tabus nesta passagem pelo Palestra Itália, e reforçou a possibilidade de o triunfo sobre o Flamengo vir na final da Libertadores.

"Na verdade, isso vem desde 2017, né? Desde 2017 o Palmeiras sofre com o Flamengo. Cinco anos aí que o Palmeiras, quando encara o Flamengo, tem dificuldades contra o time titular, time reserva, de qualquer forma. Curioso que essa rivalidade começou a ficar mais forte em 2015, 2016, com o Palmeiras campeão brasileiro, e veio a história do cheirinho. O Palmeiras, depois, foi campeão em 2018, Flamengo em 2019 e 2020. Neste meio tempo, a rivalidade foi subindo, e a gente vai olhar no confronto direto de Palmeiras e Flamengo, e só dá Flamengo desde 2017. Apesar de o Palmeiras ter sido campeão, no confronto direto, só dá Flamengo. Então, acaba sendo uma pedra no sapato. Aí, vou devolver a provocação que o Abel tem conseguido tirar as pedras no sapato do Palmeiras Ganhou do São Paulo pela primeira vez na história na Libertadores, fez outros jogos bons, e só falta o Flamengo. A única pedra no sapato que ele ainda não conseguiu tirar é o Flamengo, mas aí precisa saber se ele vai conseguir tirar justamente amanhã. Seria um roteiro de filme".

Pouco depois, Alicia Klein salientou que analisar os jogos do Brasileiro de forma isolada acaba não sendo a forma mais segura de compreender as equipes.

"Renato [Maurício Prado], você estava falando desse jogo, mas uma coisa que o Campeonato Brasileiro tem mostrado para a gente é que não dá para pegarmos um jogo isolado e tentar ler alguma coisa porque o campeonato é uma montanha-russa para vários clubes. Tem uma grande vitória, na sequência perder para um time mais fraco. Como o Lavieri falou, o Palmeiras perdeu vários pontos para times mais fracos, ou lá embaixo na tabela. E aí, de repente, foi lá, e quando parte da mídia e torcida achava que o Palmeiras ia ser amassado pelo Atlético-MG, segurou e se classificou para a final. Aquela coisa de que cada jogo tem a sua história, no jogo único vale muito", avaliou.

"Sobre o mérito do Renato, é engraçado como a coisa muda. O Renato começou e o Flamengo emendou uma goleada atrás da outra, e a gente falou: 'Pô, de repente, o Renato tem uma bagagem tática que a gente não sabia'. E agora estamos falando que tem possibilidade de que ele não fique ainda que seja campeão", completou.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL