PUBLICIDADE
Topo

Ex-auxiliar do Fla revela clima de 'velório' após derrota na Libertadores

Maurício Souza, foi técnico interino do Flamengo na reta final do Brasileirão 2021 - CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Maurício Souza, foi técnico interino do Flamengo na reta final do Brasileirão 2021 Imagem: CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/01/2022 10h02

Maurício Souza, ex-auxiliar técnico do Flamengo, contou que o clima no vestiário do clube em Montevidéu após a derrota para o Palmeiras por 2 a 1 na final da Copa Libertadores da América era semelhante ao de um velório.

Mauricinho ainda falou sobre a reação de Andreas Pereira, que falhou no lance que deu origem ao segundo gol do time alviverde, marcado por Deyverson no início da prorrogação, dizendo que o atleta ficou "muito arrasado".

"O [vestiário depois da final da Libertadores] era um velório. O Andreas ficou muito arrasado. Na sequência, tinha um jogo contra o Ceará, o clube liberou ele de jogar, ele ficou muito mal. Acaba que o erro que culminou da derrota saiu do pé dele. Não tem como falar. O treinador corrige muito erro que ninguém vê. Mas o erro que a bola passa por baixo da perna do goleiro, de perder a bola como último homem, perder o equilíbrio, escorregar, isso não tem correção. Todo mundo viu que aconteceu", disse Maurício Souza, que foi demitido do Flamengo na reapresentação do clube, em entrevista ao "Charla Podcast".

"O que vai falar para ele? 'Domina de frente'? Sei lá. Ele sabe que errou. Sabe que não teve erro coletivo. Foi um erro individual. Ele assumiu, sentiu muito. No dia seguinte, eu falei com ele. Ele era um dos grandes destaques do time, um dos que estava jogando melhor, carregando o time para a frente, pegando a bola, se movimentando. E aconteceu", continuou.

Elogios a Andreas Pereira

O ex-treinador do sub-20 do Flamengo avaliou que Andreas Pereira demonstrou valentia ao aceitar iniciar a partida seguinte, contra o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro. Maurício Souza foi o responsável por comandar a equipe naquela partida, já que Renato Gaúcho deixou o cmoando do Flamengo após a derrota na Libertadores.

"Ele foi muito valente quando quis jogar contra o Ceará ainda abatido. Visivelmente. Eu perguntei se ele não queria começar no banco porque vai que a gente começa perdendo e eu preciso tirar ele. Como seria a reação da massa? Ele falou que não tinha problema, que queria encarar e que não teria problema para começar a jogar. A reação da torcida surpreendeu, mas acho que se explica pelo contexto da final. O Flamengo não fez o jogo do ano, mas foi melhor que o Palmeiras. Foi um erro muito individual. Seria covardia atacar o garoto dessa maneira", completou Maurício Souza.