PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2021

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Alicia Klein: 'O Palmeiras chega inteiro, e o Flamengo não chega igual'

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

27/11/2021 04h00

Classificação e Jogos

Palmeiras e Flamengo fizeram os últimos ajustes para a final da Libertadores, hoje (26), em Montevidéu. No decorrer do período de preparação, as comissões técnicas tiveram de lidar de formas distintas em relação à parte física do elenco.

Na Live UOL Esporte Especial, transmitida pelo UOL Esporte na véspera da decisão, os colunistas Danilo Lavieri, Alicia Klein, Renato Maurício Prado e André Rocha fizeram uma prévia do duelo e comentaram essa diferença para a decisão.

"Renato [Maurício Prado], você levantou um ponto que acho importante e nem sempre é falado, que é valorizar o trabalho que foi feito pela comissão técnica do Abel, obviamente em conjunto com o departamento médico, fisiologistas e fisioterapeutas do Palmeiras, e na ponta o Abel escolhendo quem joga, fazendo esse rodízio dos jogadores, o controle da minutagem, como gostamos de dizer... Poder chegar, poder ter todas essas opções. Inclusive, ter rodada os reservas para ver quem estava bem, chegar todo mundo tinindo", disse Alicia Klein.

A colunista do UOL Esporte ressaltou que o Verdão conseguiu colocar em prática um planejamento para "chegar inteiro" à decisão, e lembrou o caso de Arrascaeta, que deve ser titular no Rubro-Negro após se recuperar de lesão muscular.

"Ele [Abel] segurou o Felipe Melo muito jogos, para que ele chegasse no auge da sua força. E o Flamengo, por diversas questões, não chega igual. O Abel tem um ano e 15 dias de Palmeiras, jogou mais de 90 jogos. Sabemos que têm clubes na Europa que fizeram um escândalo quando jogaram quase 70 jogos. E o Palmeira chega inteiro. Acho que ter essa vantagem tática, de poder pensar com quem vai jogar, é uma vantagem que o Palmeiras construiu sobre o Flamengo. Você fez uma referência que o Arrascaeta só não joga se estiver morto. Acho que 70% de Arrascaeta seria titular em qualquer time do Brasil. Se ele estiver vivo, entra, mas claramente não está com o ritmo de jogo. Nem teria como. Mas isso que é um mérito construído pelo Palmeiras".

Pouco após a fala de Alicia, Leo Burlá,, repórter do UOL Esporte que está no Uruguai para a cobertura da final pelo lado rubro-negro, trouxe a informação de que Renato terá o elenco todo à disposição para o jogo. Renato Maurício Prado, então, perguntou a André Rocha o que esperar taticamente deste time.

"Esse time que o Leo Burlá falou, você falou em dream team, e acho que merece essa referência. Ao menos, em minha opinião, é o melhor time da América do Sul no papel, mas só jogou 10 minutos. Jogou 10 minutos contra o Barcelona de Guayaquil. Então, é uma coisa que fica como uma imaginação do que podem render porque a gente não tem parâmetro. Temos parâmetro dos oito que jogam desde 2019. O que imagino é que o Bruno Henrique vai ter de se sacrificar mais sem a bola porque o Arrascaeta não vai trabalhar muito, vai ficar lá na frente, como aquele meia, e o Bruno Henrique volta pela esquerda. Imagino que seja isso até para poupar forças do Arrascaeta".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL