PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Vinícius Mesquita: "Não consigo condenar o trabalho de Ceni no São Paulo"

Do UOL, em São Paulo

11/11/2021 12h00

Rogério Ceni assumiu o comando do São Paulo após a saída de Hernán Crespo com a missão de espantar o fantasma do rebaixamento e brigar por uma vaga na Libertadores. No início, o Tricolor deu a impressão de que reagiria no Brasileirão, mas as últimas rodadas esfriaram o ânimo inicial. O empate por 1 a 1 com o Fortaleza, nesta quarta-feira (10), deixou o time ainda mais distante da classificação para o torneio continental. Pior: o fantasma do Z-4 voltou a assombrar o Morumbi.

Na Live do São Paulo, programa do UOL Esporte após os jogos do Tricolor, os jornalistas Marcelo Hazan, Vinícius Mesquita e Menon falaram sobre o trabalho de Rogério Ceni à frente da equipe. Eles destacaram que, mais do que o treinador, os defeitos do elenco se sobressaem quando o time mais precisa de um bom rendimento.

"Algumas pessoas falam 'o Rogério Ceni é horrível'. Acho muito difícil criticar o Ceni com esse time, com esse elenco e com essa atual condição do São Paulo. Tudo bem, assumiu, tem que aguentar. Mas acho muito complexo criticar o Ceni quando a gente olha para o elenco do São Paulo. É difícil demais", opinou Mesquita.

Menon também não vê tanta culpa de Ceni pelo resultado no Castelão. "Ele mais ajudou do que atrapalhou. Achei correto ele manter o 3-5-2, mesmo sem o Arboleda, porque o Fortaleza é muito forte pelos lados do campo. Se ele fizesse uma linha de quatro, ficaria mais difícil. Ele fechou bem os lados. Acho que errou ao tirar o Liziero, porque faltou um muro na frente dos zagueiros, uma proteção mais efetiva", analisou o colunista do UOL.

Na partida em Fortaleza, Mesquita apontou apenas um problema nas escolhas de Ceni, ao improvisar Marquinhos na lateral direita, em substituição a Igor Vinícius. O lance do gol do Fortaleza saiu em uma jogada em cima do atacante. "Ele deve pensar: 'o Benítez não aguenta, é jogador que fica machucado...'. Com exceção dessa história do Marquinhos com o Igor Vinícius, que foi um erro e não deveria ser feito ali, não consigo condenar o trabalho do Rogério Ceni não só nesse jogo como desde que assumiu o São Paulo. Não sei se bateu um desespero para tentar melhorar ofensivamente, já que o Igor Vinícius não acertou um único cruzamento em cinco tentativas no primeiro tempo", ponderou.

Menon concorda com a opinião de Mesquita sobre a improvisação de Marquinhos. "Ele errou feio. A ideia pode ser boa, mas com três minutos o garoto não conseguiu fazer a marcação ali, o Robson se antecipou à marcação do Leo Pelé e fez o gol. Aí tem a questão da sacada. No final, ele colocou Vitor Bueno e Benítez. O Benítez deu o passe para o Bueno fazer o gol, que foi anulado, e fez um gol de falta. No fim, ele acertou tudo", avaliou.

Para Mesquita, o treinador faz um trabalho correto. "Já achei errado quando o Crespo saiu. A diretoria do São Paulo tem errado muito. Mas em relação ao Rogério Ceni nesse jogo, não acho que ele errou, de uma maneira geral. De forma pontual, talvez a gente encontre", concluiu.

Não perca! A próxima edição da Live do São Paulo será no domingo (14), logo após a partida contra o Flamengo pelo Brasileirão. Você pode acompanhar o programa pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do São Paulo no UOL Esporte ou no canal do UOL Esporte no Youtube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol