PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Goleador na base do Palmeiras tem quê de Romário, mas mal conhecia Baixinho

Endrick, do Palmeiras, comemora gol pelo clube - Fabio Menotti/Palmeiras
Endrick, do Palmeiras, comemora gol pelo clube Imagem: Fabio Menotti/Palmeiras

Diego Iwata Lima

De São Paulo

22/10/2021 04h00

De tanto ouvir falar que seu estilo se parecia com o de Romário, tetracampeão com o Brasil em 1994, Endrick, 15, foi pesquisar no YouTube os gols do Baixinho, hoje senador pelo PL-RJ.

"Falam que o Romário era um cara que se posicionava muito bem. Venho me posicionando bem na área, fazendo até gols de cabeça, como ele fazia, sem ser muito alto", disse o atacante de 1,73m que vem atuando pelo sub-15, pelo sub-17 e pelo sub-20 do Palmeiras e já fez mais de 150 gols no clube —60 deles em jogos oficiais.

"Eu estou tentando trabalhar cada vez mais a impulsão e percebi que venho ganhando mais bolas de cabeça e cabeceando bem", contou. "O que mais treino são aquelas finalizações na saída do goleiro, que o Romário fazia bastante", conta, demonstrando que de fato pesquisou jogos do eterno camisa 11 da seleção.

"No meu Instagram, em redes sociais, sempre me compararam com ele [Romário]. Eu não via muitos vídeos dele. Agora eu vejo mais, para ir me comparando e pegando as qualidades dele", contou ao UOL Esporte o jogador nascido em 2006 —dois anos antes de Romário anunciar oficialmente sua aposentadoria dos gramados.

Cabeça fica a mil

Endrick, que quase se chamou Di Stefano, em homenagem ao lendário jogador argentino naturalizado espanhol, é visto no clube como o próximo grande nome a ser revelado pelo Alviverde.

Não é à toa, claro, que ele está recebendo chances em equipes com jogadores mais velhos que ele. E por estar participando das três categorias de base, Endrick vive uma rotina bem diferente da maioria dos colegas de sua idade.

e - Fabio Menotti/ Palmeiras  - Fabio Menotti/ Palmeiras
Endrick durante jogo do Palmeiras contra o Audax
Imagem: Fabio Menotti/ Palmeiras

"É difícil, cara. Eu falo para minha família, minha cabeça fica a mil. Por isso, tenho que estar calmo com o sobe e desce para estar sempre à disposição, seja para o [sub-]20, 15 ou 17", diz. "Tudo isso é muito bom para mim, mas tenho que ficar tranquilo, para não subir à cabeça", afirma.

Além da rotina, Endrick tem que ir se adaptando às diferenças de jogo em cada categoria. "O [sub-]20 é muita experiência, não é tanta correria. No 15 tem muito bololô, todo muito correndo em cima da bola, querendo ela. É da idade, mas a gente vai pegando experiência e se adaptando", diz.

"Já aconteceu de eu jogar em um dia, descansar um dia e jogar no seguinte e seguir fazendo isso", conta. "Teve uma semana que joguei no Paulista Sub-17 e recebi a notícia de que ia jogar no Brasileiro sub-20 contra o Grêmio. Daí, treinei um dia e joguei no Paulista Sub-20. Mais dois dias, e viajei para jogar no sub-20 de novo, contra o América-MG. Foi a sequência mais pesada, um jogo no sub-17 e três no sub-20. Foi bem pegado", relembra-se.

Contra a equipe de Belo Horizonte, em seu segundo jogo no sub-20, primeiro como titular, Endrick já fez seu primeiro gol. "O Endrick não tem jeito, não, é um jogador muito diferente. No primeiro jogo que o coloquei, ele já quase fez gol também", relembra-se Wesley Carvalho, ex-técnico do sub-20 do Palmeiras.

Gol e título no Allianz Parque cheio

e - Lolê/A. A. Flamengo - Lolê/A. A. Flamengo
Endrick comemora gol pelo Palmeiras, em jogo do Paulistão sub-20
Imagem: Lolê/A. A. Flamengo

Endrick, chegou ao Palmeiras com 11 anos, e logo em seu primeiro ano, foi artilheiro do Paulista da categoria. Foi dele inclusive o gol do título, em um Allianz Parque com mais de 20 mil torcedores, na vitória por 1 a 0.

Foi o 20º dele naquele torneio em que foi artilheiro, um dos mais de 150 que o clube estima que ele já tenha feito vestindo verde e branco. O montante total está sendo cuidadosamente pesquisado e catalogado pelo Palmeiras. Mas já se sabe que ele soma 60 em 84 jogos oficiais —incluindo o anotado contra o Audax pelo Paulista Sub-20 na quinta-feira (21), no empate em 1 a 1.

"Ter vivido aquilo tão novo foi um combustível para eu desejar seguir como profissional", conta o atacante que pensou pela primeira vez em ser jogador aos oito anos.

"Meu pai queria ter sido jogador, mas não foi apoiado pelos meus avós. Então, eu meio que estou realizando o sonho dele. Tanto minha mãe quanto ele me dão todo o apoio", comenta sobre Douglas, que chegou a trabalhar como funcionário da equipe de limpeza do clube depois de o filho já estar jogando.

Espelho é Cristiano Ronaldo

Se para muitos, Romário é o ponto de comparação, para Endrick, o grande espelho é Cristiano Ronaldo. "Ele é um fenômeno, sempre quer mais desafios. Assim como eu, ele gosta das partidas decisivas. Tenho a vontade de querer ser como ele, é um cara que batalha muito, que aparece nos momentos mais importantes", diz.

Outro aspecto de Cristiano mirado por Endrick é o lado atlético. Assim como o português, Endrick gosta de treinar e se aprimorar fisicamente. "Isso eu pego dele também, de sempre querer trabalhar mais e ser mais forte. Ele sempre está querendo jogar mais e fazer mais gols. E eu estou tentando seguir a linha dele", diz.

e - Fabio Menotti - Fabio Menotti
Endrick, de 15 anos, comemora gol pelo Palmeiras sub-20, em partida contra o Grêmio, no Allianz
Imagem: Fabio Menotti

Nas redes sociais, além da comparação com Romário, Endrick já leu de tudo. "Eu faço questão de ver o que falam de negativo, para tentar melhorar algo. E de positivo também, claro", diz.

"Tem os que falam que eu não vou virar nada, que não vou jogar bem no profissional. E tem quem me apoie também, falando para eu ir logo [para o profissional]", diz.

A promoção, aliás, é um assunto tratado com toda cautela pelo garoto, que sempre fala do time principal como uma hipótese, jamais como certeza. Mas, caso ele consiga chegar um dia, já sabe como vai se portar.

"Ficar no profissional é mais difícil do que chegar", define. "Mas se eu conseguir, a torcida vai ver alguém que nunca desiste de jogadas. Se a jogada está perdida para os outros, para mim, não está", diz. "Se for para deixar sangue em campo, eu deixo. Eu sempre vou honrar esse manto", disse ele, convicto, apontando para a camisa do clube que vestia durante a entrevista.

Endrick em Números - Jogos e Gols Oficiais

2017

Paulista Sub-11: 19 jogos / 20 gols (artilheiro do torneio)

2018

Paulista Sub-13: 21 jogos / 16 gols (artilheiro do torneio)

2019

Paulista Sub-13: 2 jogos / 4 gols
Paulista Sub-15: 16 jogos / 9 gols

2020

Brasileiro Sub-17: 6 jogos / 1 gol
Copa do Brasil Sub-17: 1 jogo/ 0 gol

2021*

Paulista Sub-17: 3 jogos/ 1 gol
Brasileiro Sub-17: 4 jogos / 0 gol
Copa do Brasil Sub-17: 5 jogos/ 5 gols
Paulista Sub-20: 3 jogos / 2 gols
Brasileiro Sub-20: 4 jogos / 2 gols

TOTAL : 84 jogos / 60 gols

*em andamento

Futebol