PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Seleções já desfalcaram Flamengo em 12 jogos e baixas ultrapassam 60 dias

Gabigol celebra com Éverton Ribeiro gol marcado pelo Flamengo diante do Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF
Gabigol celebra com Éverton Ribeiro gol marcado pelo Flamengo diante do Fluminense Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/10/2021 04h00

O descontentamento do Flamengo com a continuidade da maratona de jogos em meio ao calendário das seleções tem amparo nos números e se reforça à medida que as perdas são contabilizadas.

Desde o início desta temporada, o clube já cedeu oito jogadores e há casos em que as baixas provocadas pelo período com as equipes nacionais e lesões decorrentes de jogos das Eliminatórias Sul-Americanas e da Copa América fazem com que jogadores cheguem a desfalcar o Rubro-Negro por até 68 dias.

O caso mais emblemático é o do meia Arrascaeta, figurinha carimbada da seleção uruguaia, não pode jogar em 13 jogos do time carioca. A serviço da Celeste por 52 dias, o jogador não esteve em campo pelo Fla em 13 ocasiões: dez pelo Brasileirão, duas na Copa do Brasil e uma pela Libertadores. Esta ausência foi ampliada ainda mais por conta dos 16 dias que o atleta ficou longe dos gramados para se recuperar de alguma lesão constatada em jogos até 66 horas após em seu retorno.

Frequentemente lembrados por Tite para defender a seleção brasileira, Gabigol e Everton Ribeiro também não têm estado sempre à disposição de Renato Gaúcho. Everton desfalcou a equipe em nove jogos, enquanto o artilheiro ficou fora de dez duelos. Pesou contra o goleador o fato de ele ter retornado da última Data-Fifa com dores musculares. Na soma, Gabi ficou fora da equipe por 55 dias, enquanto o camisa 7 não esteve às ordens em 49.

O chileno Isla é outro que vive na "ponte aérea". Titular do Chile, ele não pode ser utilizado no clube em dez partidas, somando 54 dias de ausência. Rodrigo Caio (dois jogos), Pedro (dois jogos) e Gerson (dois jogos) foram outros convocados em 2021.

Isla e Arrascaeta - Alexandre Vidal/Flamengo - Alexandre Vidal/Flamengo
Isla e Arrascaeta têm desfalcado Flamengo por convocações
Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Jogador que retornou ao Flamengo após uma passagem pelo futebol da Turquia, Piris da Motta fecha essa conta. Apesar de não ser nome recorrente nas listas de Renato, o paraguaio não estava sequer apto a ser relacionado em 16 jogos. O agravante neste caso foram os 76 dias de recuperação de lesões.

"Adiar os jogos foi acordado com a CBF, mas a gente soube que voltaram atrás da decisão, o que causa uma profunda indignação. É realmente inaceitável com uma condição que temos no Brasil, com um calendário apertado, a gente se dar ao luxo de não parar o campeonato", disse o presidente Rodolfo Landim, que completou:

"Fica parecendo que pode ser uma retaliação ao clube. Não da CBF, com a qual a gente tem conversado, mas com uma CBF que a gente não consegue enxergar."

Após a vitória por 3 a 0 sobre o Atlhetico, pelo Brasileirão, os atuais campeões abriram a contagem para mais três duelos com o elenco mutilado pelas perdas de quatro nomes, o que irá fazer a conta ficar ainda mais pesada. Sem Gabigol, Arrascaeta, Isla e Everton, Renato Gaúcho terá de colocar à prova a força do grupo nos encontros diante de Red Bull Bragantino, Fortaleza e Juventude.

"As datas deveriam ser cumpridas. No Flamengo, temos uma decisão a cada três dias. Nós temos quatro jogadores que estão servindo às seleções. Os únicos beneficiados são os nossos adversários. É difícil de entender certas coisas", afirmou o treinador.

Flamengo