PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Landim critica CBF por não adiar jogos do Brasileiro: 'Profunda indignação'

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, afirmou estar indignado com decisão da CBF - Alexandre Vidal/Flamengo
Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, afirmou estar indignado com decisão da CBF Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/10/2021 18h43

Classificação e Jogos

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, se pronunciou na tarde de hoje (3), após a vitória da equipe sobre o Athletico-PR, para protestar contra a decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) de não adiar os jogos dos times Série A que tiveram convocados às datas-Fifa, durante o período de jogos das seleções nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

"Isso [adiar os jogos] foi acordado com a CBF, e a gente soube que voltaram atrás da decisão, o que causa uma profunda indignação. É realmente inaceitável com uma condição que temos no Brasil, com um calendário apertado, a gente se dar ao luxo de não parar o campeonato", afirmou Landim em coletiva de imprensa, ao lado do vice-presidente, Marcos Braz.

O mandatário rubro-negro comentou novamente que o acordado com a confederação seria de estender o calendário até 26 de dezembro, com as finais da Copa do Brasil, o que, segundo ele, só afetaria os dois finalistas da competição.

"Fica parecendo que pode ser uma retaliação ao clube. Não da CBF com a qual a gente tem conversado, mas com uma CBF que a gente não consegue enxergar, no sentido de atuar contra todos aqueles que elevam a voz para melhorar o futebol brasileiro", prosseguiu.

"Existe uma regra, seguida no mundo todo, e infelizmente não tem sido seguida no Brasil, que haja paralisação nos campeonatos durante a convocação dos jogadores para jogarem nas suas seleções. Isso não tem sido seguido e vinha prejudicando muito o Flamengo", argumentou o presidente.

Na última semana, a CBF havia recuado em sua decisão e, por pressão com direito a lobby de jogadores, sindicatos e clubes, como o Atlético-MG, decidiu colocar o final do Brasileirão para 5 de dezembro.

Futebol