PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Moreno desabafa e critica árbitro após gol anulado: 'somos cobrados na rua'

Marcelo Moreno, atcante do Cruzeiro, teve gol anulado contra o Operário e ficou inconformado com a arbitragem - GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Marcelo Moreno, atcante do Cruzeiro, teve gol anulado contra o Operário e ficou inconformado com a arbitragem Imagem: GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em Belo Horizonte

16/09/2021 21h45

Classificação e Jogos

O atacante Marcelo Moreno saiu de campo furioso após o empate do Cruzeiro com o Operário, hoje (16) — 1 a 1 —, na Arena do Jacaré. O jogador fez muitas críticas ao árbitro do jogo, Rodrigo Dalonso Ferreira, responsável por anular o gol marcado pelo boliviano, e que daria a vitória por 2 a 1 à Raposa em cima do Fantasma paranaense, no último lance do duelo, válido pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Moreno cobrou da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) uma ação, já que o atacante se sentiu prejudicado. O jogador chegou a usar o exemplo do ocorrido com o atacante do Santos, Diego Tardelli, que sofreu uma emboscada após a eliminação do Peixe na Copa do Brasil, e teve o seu carro danificado por vândalos nesta semana.

É uma alegria que dura pouco [pelo gol marcado, mas anulado]. A gente não pode sofrer isso aqui, dentro da nossa casa. Mandar qualquer juiz desse para apitar o jogo, Cruzeiro querendo subir. Todo mundo se doando, e ele fazer uma coisa dessa. Isso não existe. A CBF tem que olhar isso. A gente dá a alma, depois sai e é cobrado. Aconteceu com o Tardelli em São Paulo", reclamou em entrevista ao canal Premiere.

"Depois a gente não pode sair na rua, nossa família está em risco por causa dele. Ele sai escoltado por que? A gente é bandido? A gente fez um grande jogo, mas assim é impossível ganhar assim. Deu um pênalti contra, anula um gol que ia nos ajudar na classificação. Como a gente faz agora?", disparou o boliviano.

O lance do gol cruzeirense anulado pela arbitragem aconteceu aos 51 minutos do segundo tempo. Wellington Nem disputou bola na direita do ataque celeste, a bola sobrou na entrada da área para Marco Antônio, que ajeitou a bola e tocou para Marcelo Moreno marcar. Entretanto, na interpretação da arbitragem, a bola teria batido no braço do meio-campista antes da assistência para o gol.

Cruzeiro