PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Atlético-MG tem melhorado no segundo tempo; Cuca explica evolução

Cuca exalta sua equipe e explica motivo de o Galo ser mais forte no segundo tempo das partidas - Pedro Souza/Atlético-MG
Cuca exalta sua equipe e explica motivo de o Galo ser mais forte no segundo tempo das partidas Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

12/09/2021 20h09

Classificação e Jogos

A vitória do Atlético-MG por 2 a 0 em cima do Fortaleza na tarde de hoje (12) aconteceu com gols no segundo tempo, quando os gringos Zaracho e Junior Alonso balançaram as redes do adversário na partida da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. E buscar o resultado na segunda etapa não tem sido novidade para o Galo, que já havia alcançado empates contra Bragantino e Fluminense — na 17ª e 18ª rodadas — com tentos assinalados na etapa número dois.

Para o técnico Cuca, o primeiro tempo entre Galo e Leão do Pici no Castelão foi muito físico e de forte marcação entre os dois times. Daí o motivo de o time alvinegro ter feito melhor os 45 minutos finais, na opinião do treinador.

"O segundo tempo foi melhor do que o primeiro, mas o primeiro não foi ruim. Esse é o tipo de jogo que vai ter uma 'trocação' de 45 minutos numa correria desenfreada, como foi o primeiro tempo. Duas equipes descansadas, o primeiro contra o quarto jogando, né? O terceiro! [Antes da rodada]. Uma disputa por espaço, e qualquer detalhe faz a diferença. É o tipo de jogo em que quem sair na frente vai ter enorme chance de vencer. Não foi um jogo de muitas oportunidades no primeiro tempo. Foram poucas porque as marcações foram muito boas e a predisposição foi uma correria muito grande", disse.

Cuca ressaltou o gol de Zaracho logo no início do segundo tempo, o que mudou a história do jogo.

"No segundo tempo a gente teve um controle maior do jogo, até porque ninguém iria conseguir correr com 30 graus daquele jeito, o tanto que os dois times estavam correndo. Nós aproveitamos a oportunidade no começo do segundo tempo quando saímos na frente e tomamos conta do jogo, né? Ocupando bem os espaços, tendo a velocidade na hora certa para o contra-ataque, tendo imposição também na saída de jogo", analisou.

O Atlético-MG ampliou sua liderança no Brasileirão se aproveitando do tropeço do Palmeiras, que perdeu de virada para o Flamengo. Agora, o Galo soma 42 pontos, sete a mais do que o Alviverde Paulista, o segundo colocado. Além de se distanciar ainda mais do vice-líder, dificultou muito a vida do próprio Fortaleza, que era o terceiro colocado antes da rodada, e com a derrota acabou perdendo uma posição.

"Trabalhando a bola criamos chances e fizemos o segundo gol. Não tivemos grandes ameaças atrás, apesar de a posse de bola ter sido igual. Foi uma vitória justa e muito difícil porque o adversário é uma boa equipe. Muito bem orientada. E não havia perdido em casa ainda. Não havia tido derrota nenhuma, né? A gente tinha posto esse tema na preleção, que a dificuldade ia ser grande. Adversário que não tinha tomado muito gols em casa e não havia perdido. Graças a Deus nós conseguimos vencer", completou a análise.

Sem Savarino, lesionado, Cuca explicou o posicionamento de Zaracho e a entrada de Diego Costa apenas no segundo tempo.

"Nós preenchemos o quarto homem por um lado que foi o Zaracho e ele taticamente foi muito bem. Depois nós mudamos ele de posição. Com a entrada do Réver ele foi para o meio. Ao lado do Nacho também, ele foi bem. E o Diego [Costa] em momento algum a gente pensou nele como titular, porque ele vem num processo de entrar em condição de jogo. Temos de ter o cuidado, o devido cuidado. É um jogador muito importante. Já foi lá em Bragança, foi hoje aqui. E esse espaço ele vai ganhar gradativamente, sem pressa nenhuma. E ele é muito consciente quanto a isso também", concluiu.

Atlético-MG