PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Covid-19: 3 mil pessoas podem ter se infectado na final da Euro 2020

Jogadores da Itália comemoram com torcida o título da Eurocopa sobre a Inglaterra, em Wembley - Christian Charisius/picture alliance via Getty Images
Jogadores da Itália comemoram com torcida o título da Eurocopa sobre a Inglaterra, em Wembley Imagem: Christian Charisius/picture alliance via Getty Images

Reuters

21/08/2021 16h16

Classificação e Jogos

A final da Eurocopa 2020, quando a Itália venceu a Inglaterra, foi um evento "super disseminador" de covid-19 no estádio de Wembley, em Londres, em 11 de julho.

Os dados oficiais foram publicados ontem (20) pela autoridade de saúde pública britânica. De acordo com Public Health England, 2.295 pessoas provavelmente estavam infectadas no estádio e outras 3.404 pessoas acabaram "potencialmente infectadas" naquela partida.

O jogo, que reuniu cerca de 67 mil pessoas, foi a primeira final da Inglaterra em um torneio internacional de futebol desde que o país sediou e venceu a Copa do Mundo de 1966.

"A Euro 2020 foi uma ocasião única e é improvável que víssemos um impacto semelhante nos casos covid-19 em eventos futuros", disse em comunicado Jenifer Smith, vice-diretora médica da Public Health England.

"Os dados mostram como o vírus pode se espalhar facilmente quando há contato próximo e isso deve ser um aviso para todos nós, enquanto tentamos retornar à normalidade cautelosa mais uma vez."

Outros eventos de teste ao longo de quatro meses mostraram muito menos resultados positivos. O Grande Prêmio de Fórmula 1 da Grã-Bretanha, por exemplo, atraiu uma multidão de 350 mil pessoas em mais de 18 meses durante três dias em julho, mas registrou 585 casos registrados de covid-19.

Já os campeonatos de tênis de Wimbledon, com cerca de 300 mil participantes nas duas semanas, registraram 881 casos.

"Nós mostramos que podemos reintroduzir esportes de massa e eventos culturais com segurança, mas é importante que as pessoas permaneçam cautelosas ao se misturar em ambientes muito lotados", disse o ministro da Cultura, Oliver Dowden.

"Para que possamos manter a temporada de futebol, teatros e shows seguros com multidões cheias neste inverno, exorto os fãs de esporte, música e cultura a tomar a vacina, pois esta é a maneira mais segura de fazer grandes eventos dispararem em todos os cilindros mais uma vez", conclui.

Futebol