PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Fifa firma parceria com OMS e lança campanha pela saúde mental no futebol

A campanha é uma parceria entre a Fifa e a OMS - Arnd Wiegmann/Reuters
A campanha é uma parceria entre a Fifa e a OMS Imagem: Arnd Wiegmann/Reuters

Do UOL, em São Paulo

03/08/2021 10h32

A Fifa anunciou ontem (02) a campanha da "Reach Out", que busca sensibilizar e trazer a pauta da saúde mental no meio do futebol. A iniciativa foi idealizada pela entidade em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e tem por objetivo incentivar que as pessoas conversem e procurem ajuda também para assuntos de saúde mental.

No vídeo de lançamento da campanha, a Fifa convidou Teresa Enke, viúva do goleiro Robert Enke, para contar sobre a experiência que viveu com o marido e sobre o trabalho de sua fundação, que atua para conscientizar pessoas sobre a importância de conversar sobre saúde mental. Robert Enke foi um goleiro alemão que cometeu suicídio após um período de crise depressiva em 2009.

De acordo com levantamento da FIFPRO, 23% dos jogadores e jogadoras de futebol em atividade sofrem com distúrbio do sono; 9% convivem com a depressão e 7% tem transtorno de ansiedade. Todas a doenças são gatilhadas por questões psicológicas.

A saúde mental de atletas profissionais entrou em pauta durante as Olimpíadas, especialmente quando a ginasta norte-americana Simone Biles decidiu não competir as finais da disputa olímpica por não estar bem mentalmente. Como Biles, a tenista Naomi Osaka também levantou a questão ao sair do torneio de Roland Garros pelo mesmo motivo.

Assim como a Fifa, o Comitê Olímpico Internacional (COI) também tem mostrado preocupado com a questão. Ao comentar sobre a situação de Simone Biles, o presidente da entidade, Thomas Bach, ressaltou que tem "Conversado com associações e tentamos pressionar os governos a explicarem a importância do esporte na saúde física e mental".

Futebol