PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Diretor mira o acesso do Cruzeiro com exemplo de clubes que não subiram

Rodrigo Pastana chegou ao Cruzeiro no começo de junho e até agora não viu o time engrenar na Série B - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Rodrigo Pastana chegou ao Cruzeiro no começo de junho e até agora não viu o time engrenar na Série B Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

22/07/2021 15h56

Classificação e Jogos

Menos de 30% de aproveitamento na Série B do Campeonato Brasileiro, sete jogos sem vitória e na zona de rebaixamento. Mesmo com esse cenário crítico e o descenso mais perto que o acesso, o diretor de futebol do Cruzeiro, Rodrigo Pastana, afirma que o clube não trabalha com a hipótese de pelo menos permanecer na Segunda Divisão no ano que vem.

Em entrevista coletiva virtual hoje (22) com perguntas gravadas pelos jornalistas, Pastana disse confiar em uma "campanha surpreendente", e citou outros clubes que em um passado recente melhoraram com a competição em andamento. O curioso é que os citados pelo dirigente não conseguiram o acesso à Primeira Divisão.

"Nós não trabalhamos com essa hipótese de não subir. Temos uma avaliação semanal da competição, já tiveram campanhas surpreendentes como a do América-MG, em 2018, como a do próprio CSA no ano passado, que não chegaram a pontuação de classificação por dois ou três pontos. A gente acredita ainda no acesso", disse Pastana já com 13 rodadas da Segundona disputadas.

América-MG

Citado por Pastana, o América-MG tinha o ex-técnico do Cruzeiro no comando, Felipe Conceição, em 2019, quando de fato emplacou uma sequência de resultados importantes a partir da 11ª rodada, momento em que Felipe assumiu o Coelho.

Dali em diante, da 11ª a 16ª rodadas, o América-MG escalou a tabela, deixou o G-4 e a partir da rodada 27 já tinha outra luta no Brasileirão que não à fuga da Série C. O time passava a partir de então a brigar pelo G-4, o que de fato aconteceu até a última rodada, quando a equipe de Conceição tropeçou em casa diante do rebaixado São Bento e acabou ficando na Segunda Divisão. Uma ducha de água fria na ocasião por todo o trabalho que havia sido desenvolvido.

CSA

Rodrigo Pastana era o diretor de futebol do CSA e Mozart, hoje também no Cruzeiro, o treinador do time em parte da campanha de 2020 do time alagoano na Série B. A equipe azul terminou na quinta colocação e também ficou muito perto do acesso no ano passado. Somou 58 pontos em 38 jogos, mas perdeu a vaga na última rodada, quando empatou com o Náutico e viu seus adversários o superarem. O Cuiabá foi o quarto com 61 pontos e acabou subindo de divisão.

Má fase da Raposa

Atual comandante do Cruzeiro, Mozart viu a equipe despencar na tabela de classificação muito pela falta de convicção do próprio treinador, que desde que chegou não encontrou um time titular. Já são 11 jogos, cinco empates, duas vitórias e quatro derrotas, com 16 gols sofridos e 12 marcados. Números que assustam o torcedor, que já pede a saída do comandante.

"É óbvio que essa vitória precisa vir rapidamente. E a gente espera que com essa vitória a gente engrene outras vitórias e chegue a um patamar da classificação bem maior. É o caso do Guarani que estava lá em baixo e está próximo do G-4, e o caso do Remo, que com as três últimas vitórias subiu na tabela e já ocupa a 10ª colocação", concluiu Pastana.

Cruzeiro