PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos marca aos 50 minutos e busca empate com o Bragantino no Brasileiro

Do UOL, em São Paulo

18/07/2021 22h27

Classificação e Jogos

Santos e Red Bull Bragantino empataram por 2 a 2, hoje (18), no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP), pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em uma partida emocionante e com cada metade dominada por uma equipe, o resultado ficou na medida para ambos os times. Alerrandro e Ytalo marcaram para os donos da casa, enquanto Marcos Guilherme e Marcos Leonardo igualaram para o Peixe.

Com o resultado, o Bragantino perde duas posições na tabela de classificação e ocupa o quarto lugar, com 24 pontos. O time dirigido por Maurício Barbieri, o único invicto do Brasileirão, já não vence há três rodadas. Antes do duelo com o Santos, havia empatado com Athletico-PR e Cuiabá.

O Santos, por sua vez, completou duas partidas sem vitória. Fazendo uma campanha de altos e baixos, o time de Fernando Diniz chegou aos 16 pontos e ocupa o décimo lugar. Em relação à rodada passada, o Peixe perdeu uma posição.

Na próxima rodada, o Santos volta a atuar em casa, contra o Atlético-GO, no domingo (25), enquanto o Bragantino viaja para enfrentar o Fortaleza no mesmo dia. Antes disso, ambos os times têm compromissos pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Peixe joga contra o Independiente, na Argentina, na quinta-feira (22), enquanto o Massa Bruta encara o Independiente del Valle-EQU em casa.

Massa Bruta sofre em casa

Se tem uma das melhores campanhas do Brasileirão, o motivo não é a força dos jogos em seu estádio. O Bragantino venceu apenas um dos seis jogos disputados em casa -justamente contra o líder Palmeiras. Antes do 2 x 2 com o Santos, o Massa Bruta havia empatado com Cuiabá, Ceará, Fluminense e Bahia. Como visitante, porém, a situação muda, e o Bragantino ganhou 16 dos 18 pontos disputados.

Santos sofre como visitante

O time de Vila Belmiro, por sua vez, não consegue emplacar bons resultados fora de casa. Este foi apenas o segundo ponto conquistado em seis partidas -o outro foi diante do Grêmio. A equipe de Fernando Diniz perdeu quatro vezes longe da Vila Belmiro (Palmeiras, Bahia, Fluminense e América-MG). Como anfitrião, porém, o Santos possui um bom retrospecto, com quatro vitórias e dois empates.

Gol logo cedo (outra vez)

O Santos levou gol outra vez no começo da partida. Assim como aconteceu na derrota para o Palmeiras, no fim de semana passado, o Peixe saiu atrás no placar com apenas nove minutos de bola rolando. O lado esquerdo da defesa alvinegra era o caminho, mas o gol só saiu porque Kaiky tropeçou na bola e permitiu o roubo de Aderlan. O lateral avançou até a área e cruzou rasteiro para Alerrandro tocar para o gol vazio. Pouco antes, Moraes já havia levado uma bola nas costas, e a jogada só não teve conclusão porque Luiz Felipe cortou.

Trave impede o pior

O enredo parecia o mesmo do jogo contra o Palmeiras. Ao sofrer o primeiro gol, o Santos se desarrumou e parecia em pane. Com isso, permitiu mais uma grande oportunidade para o Bragantino marcar. Na entrada da área, Cuello se livrou facilmente da marcação e arriscou um chute colocado. A bola bateu na trave esquerda, enquanto o goleiro João Paulo apenas observou o lance aos 12 minutos.

Massacre no 1º tempo

O Santos praticamente nao viu a cor da bola no primeiro tempo. E tudo por causa de uma estratégia bem montada pelo técnico do Bragantino, Maurício Barbieri. Com muita dinâmica, o time do interior marcou pressão no ataque e impediu que o Peixe ficasse confortável na saída de bola. Quando o Santos chegava ao ataque, a busca pelo desarme era incessante. E uma vez que conseguisse o roubo de bola, os velozes atacantes do Bragantino eram acionados, uma vez que o time santista estava praticamente todo postado a partir da linha de meio-campo.

Peixe tem chance solitária

O Santos emparelhou bem o jogo até que o Bragantino abrisse o placar. Mas depois disso, o Peixe não conseguiu se colocar em condições de empatar o jogo. Pirani, Kaio Jorge e Marcos Guilherme raramente pegaram na bola. Na defesa, Camacho e Carlos Sánchez não conseguiram marcar a rápida troca de passes do adversário. Em resumo, o Santos mais correu atrás da bola do que construiu. Marinho foi o jogador mais acionado, mas nunca conseguiu encontrar um parceiro para facilitar seu jogo. O artilheiro santista foi quem proporcionou a melhor chance em uma cobrança de falta de longe. A bola desviou na barreira e saiu pela linha de fundo aos 14 minutos.

Insistência vale o gol de empate

Com o Bragantino acuado, o Santos ocupou o campo de ataque e chegou a beirar os 60% de posse de bola. A estratégia de Fernando Diniz funcionou na etapa final, e o Peixe chegou ao empate por meio de uma jogada aérea. Aos 25 minutos, Felipe Jonatan costurou bem pela esquerda e cruzou para o meio da área. Marcos Guilherme, bem posicionado, cabeceou para boa defesa de Cleiton e pegou o rebote para mandar para o gol.

Bragantino acordou após levar gol

Após a igualdade no placar, o Bragantino resolveu retomar suas funções no ataque, especialmente após as entradas de Artur e Ytalo. Aos 33 minutos, Cuello arriscou chute de fora da área e obrigou João Paulo a fazer grande defesa. Mas quatro minutos depois, o Peixe não aguentou a pressão. Em nova jogada pela direita, o cruzamento rasteiro de Artur encontrou Ytalo livre para mandar ao gol.

No fim, a igualdade merecida

Como cada time dominou um tempo ao seu estilo, o Santos buscou a justiça no placar nos últimos minutos. Marcos Leonardo, que havia entrado em lugar do zagueiro Luiz Felipe logo após o segundo gol do Bragantino, foi o herói alvinegro. Aos 50 minutos, um cruzamento da esquerda encontrou Madson, que mandou de cabeça para o gol. A bola bateu na trave e, no rebote, Marcos Leonardo mandou para o gol.

Ficha Técnica

Red Bull Bragantino 2 x 2 Santos
Motivo:
12ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 18 de julho de 2021 (domingo)
Horário: 20h30 (de Brasília)
Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Fabrini Bevilaqua Costa (SP)
VAR: Vinicius Furlan (SP)
Cartões amarelos: Marinho, Carlos Sánchez, Luiz Felipe, Felipe Jonatan (Santos); Weverson, Cuello, Léo Ortiz (Bragantino)
Gols: Alerrandro, aos 9min do primeiro tempo, e Ytalo, aos 37min do segundo tempo (Bragantino); Marcos Guilherme, aos 25min, e Marcos Leonardo, aos 50min do segundo tempo (Santos)

Santos: João Paulo, Pará (Madson), Luiz Felipe (Marcos Leonardo), Kaiky e Moraes (Felipe Jonatan); Camacho, Carlos Sánchez (Zanocelo) e Pirani (Lucas Braga); Marinho, Kaio Jorge e Marcos Guilherme. Técnico: Fernando Diniz

Red Bull Bragantino: Cleiton; Aderlan, Natan, Léo Ortiz e Weverson (Edimar); Raul (Fabrício Bruno), Lucas Evangelista e Praxedes (Ramires); Helinho, Alerrandro (Ytalo) e Cuello (Artur). Técnico: Maurício Barbieri

Futebol