PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Técnico do Galo feminino tem encontro especial com 'lenda' Tânia Maranhão

Hoffmann Túlio batizou um drible com o nome da zagueira Tânia Maranhão - Arquivo Pessoal
Hoffmann Túlio batizou um drible com o nome da zagueira Tânia Maranhão Imagem: Arquivo Pessoal

Henrique André

Do UOL, em Belo Horizonte

29/06/2021 04h00

O futebol coleciona histórias que renderiam uma biblioteca inteira. Uma delas foi escrita no último domingo (27), quando a equipe feminina do Atlético-MG venceu o Iranduba-AM, por 2 a 0, no jogo de ida das oitavas de final da Série A2 do Campeonato Brasileiro. No duelo disputado em Manaus, o técnico Hoffmann Túlio teve como adversária uma jogadora pela qual nutre idolatria. Ela, inclusive, foi homenageada pelo comandante atleticano, ainda em 2019, quando defendia o Cruzeiro, com o nome de um drible.

Uma das grandes líderes da seleção brasileira, Tânia Maranhão representou o país durante duas décadas e participou de quatro edições dos Jogos Olímpicos (Atlanta 1996, Sidney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008), três Jogos Pan-americanos e cinco campeonatos mundiais. Atualmente, aos 46 anos e uma vitalidade surpreendente, a maranhense é uma das principais peças da equipe amazonense.

"Em 2019 eu estava no Cruzeiro e a Tânia estava no Cresspom-DF. Ela começou o jogo como zagueira no lado esquerdo, como atuou contra o Galo. Estavámos com uma marcação bem encaixada até ela ser deslocada para jogar de volante. Ela começou a fazer um movimento para o lado que bagunçou minha equipe. Ganhamos o jogo por 4 a 0, mas aquilo que ela fez me chamou muita atenção. Gravei para as jogadoras que aquela jogada se chamava 'Tânia Maranhão'. Desde então, comecei a treinar essa jogada, que tanto nos perturbou naquele dia, com minhas atletas", conta Hoffmann Túlio ao UOL Esporte.

Tania maranhao - Reprodução - Reprodução
Tânia Maranhão fez história com a camisa da seleção brasileira feminina
Imagem: Reprodução

"Hoje (domingo) tive a oportunidade de falar isso pra ela. A Tânia é uma lenda do futebol e merece respeito demais", acrescenta o comandante das Vingadoras.

Exemplo de vida, dentro e fora das quatro linhas, a incansável Tânia Maranhão, que sempre se inspirou no ex-volante Dunga, tetracampeão do mundo com a seleção masculina, se orgulha do caminho trilhado no mundo da bola. Em contato com a reportagem, ela comentou o momento atual e rechaça estar perto da aposentadoria.

"O encontro com o Hoffmann me deixou muito feliz. Uma satisfação imensa saber que ele deu meu nome a uma jogada. Costuma ter atletas e atletas. Sempre cuidei do meu corpo, sempre amei a parte física e o futebol em si. O orgulho pelo esporte me faz me superar cada vez mais. Muitos diretores me pedem para ainda não parar, porque sou muito importante para a modalidade. Isso me faz me cuidar cada vez mais", conta Tânia.

"Hoje em dia existe muita vaidade no futebol. Neste momento de pandemia, aprendemos muitas coisas. Temos que sempre honrar a camisa que vestimos. As dificuldades estão bem grandes. Temos que ter mais amor, compaixão, mais amor e respeito umas pelas outras. Temos que levar tudo muito a sério para conquistar os objetivos, superando os obstáculos. O que eu puder fazer pelo futebol feminino, sempre darei o meu melhor", acrescenta.

Perguntada sobre os planos de futuro e se aceitaria um convite do Atlético-MG para defender o Alvinegro, Tânia mantém o foco no atual clube e deixa claro que a missão é concluir bem a participação na Série A2. Porém, não descarta a possibilidade.

"Eu sou incansável de verdade e gosto muito de desafios. Sempre gostei de ir além do que eu posso. Nunca podemos nos acomodar. Se isso acontecer, posso parar de jogar. Os convites estão aí para a gente pensar. Como temos um jogo agora contra o Atlético-MG, prefiro não perder o foco. Com certeza, se o convite vier, quem sabe um dia posso vestisr a camisa do Atlético? Estou aberta para negociações", brinca, Tânia.

"Recebi muitos convites para disputar estaduais. As oportunidades aparecem. Eu jamais recusaria um convite do Atlético-MG, que é um clube que tem um imenso potencial e que tem tudo para crescer muito no futebol feminino", finaliza.

vingadoras - Atlético/Divulgação - Atlético/Divulgação
O Atlético-MG venceu o Iranduba-AM por 2 a 0 no jogo de ida das oitavas de final do Brasileirão A2
Imagem: Atlético/Divulgação

Próximo jogo

No próximo sábado (3), mineiras e amazonenses voltam a se enfrentar, desta vez, em Belo Horizonte. Para o duelo no Sesc Venda Nova, marcado para às 20h (horário de Brasília), o Atlético-MG tem ampla vantagem e pode perder até por um gol de diferença que avança às quartas de final da competição.

Cabe lembrar que serão promovidas à elite do Campeonato Brasileiro as equipes que chegarem às semifinais; ou seja: subirão os quatro melhores times. Avançando às quartas, o Galo pegará o vencedor de América-MG x Vasco.

Atlético-MG