PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Números mostram bons jogos de Scarpa e Veiga, mas nunca ao mesmo tempo

Raphael Veiga comemora gol do Palmeiras contra o Corinthians pelo Brasileirão de 2021 - Marcello Zambrana/AGIF
Raphael Veiga comemora gol do Palmeiras contra o Corinthians pelo Brasileirão de 2021 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Diego Iwata Lima

De São Paulo

23/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Contra o Red Bull Bragantino, às 19h, no Nabi Abi Chedid, Abel Ferreira deve promover a sexta partida de Gustavo Scarpa e Raphael Veiga juntos como dupla de criação no time titular do Palmeiras. Nos cinco jogos anteriores - Chapecoense, CRB, Corinthians, Juventude e América - os dois fizeram boas partidas, mas de modo alternado: quando um foi bem, o outro sumiu um pouco.

O UOL avaliou as estatísticas dos dois jogadores compiladas pelo SofaScore, que evidenciam que ainda falta algum acerto entre eles para que os dois coincidam boas atuações ao mesmo tempo.

Contra a Chapecoense, Scarpa pegou pouco na bola; contra o CRB, só deu ele

A primeira partida da série conjunta foi contra a Chapecoense no Allianz Parque, pelo Brasileirão. Na vitória por 3 a 1, Scarpa deu uma assistência, mas pegou muito pouco na bola —47 toques contra 89 de Veiga.

Contra o CRB, na derrota por 1 a 0 pela Copa do Brasil, foi a vez de Veiga sumir, com apenas 69 toques contra 95 de Scarpa, que chutou nada menos que 12 bolas no gol. Veiga, arrematou quatro vezes, o que seria um bom número, não tivesse o Palmeiras chutado 35 vezes à meta alagoana.

Veiga fez o gol contra o Corinthians, mas participou pouco das ações

Contra o Corinthians, mais uma vez, foi a vez de Veiga sumir. Pegou menos na bola —70 a 53—, tentou apenas um lançamento, que errou, e três cruzamentos, todos sem direção. Scarpa acertou dois de três cruzamentos e seis de dez lançamentos. Mas estatística não é tudo: Veiga deu dois chutes a gol, mas um entrou. Scarpa errou os dois que tentou.

Scarpa deu duas assistências contra o Juventude; Veiga desapareceu contra o América-MG

Na vitória por 3 a 0 sobre o Juventude, Scarpa pegou menos na bola —57 a 61—, mas deu nada menos que duas assistências. Em compensação, não bateu a gol, contra três arremates de Veiga.

E por fim, contra o América-MG, no último domingo, foi a vez de Scarpa pegar mais na bola —60 a 48— e ainda fazer assistência para o primeiro gol de Willian. Veiga tentou um lançamento e três cruzamentos, errando todos. Scarpa cruzou 15 bolas e lançou 11. O camisa 14, que terminou o jogo na lateral na vaga de um péssimo Victor Luis naquela manhã, ainda bateu quatro vezes a gol, contra uma do camisa 23.

Jogadores tentam um fazer o contrário do outro

Em entrevista ao UOL, Gustavo Scarpa explicou que ele e Veiga se conversam em campo, e que um "tenta fazer o contrário do outro". Se Scarpa desce para buscar a bola junto com o volante do dia, o outro abre para receber mais perto dos homens de ataque.

A explicação de Scarpa justifica, de certo modo, que os dois alternem boas atuações, e acabem trazendo a Abel justamente a opção que ele precisa em cada jogo. Com dois meias em campo, ele dobra a possibilidade de um deles estar em uma tarde melhor para criar jogadas.

Por outro lado, até que haja um ajuste melhor entre os dois, o Palmeiras acaba tendo uma peça muito menos operante que a outra em cada partida, de modo que é de se imaginar se Danilo ou algum outro volante de mobilidade talvez não fizessem melhor o papel de um dos meias.

A julgar pelo ano de 2020, quando foi destaque do time, quem perde um pouco individualmente, até que esse ajuste se concretize, é Raphael Veiga. De principal homem do setor, ele passou, por enquanto, a ser coadjuvante em algumas partidas. Já Scarpa, que nem titular era, vai agarrando sua chance de enfim se firmar.

RED BULL BRAGANTINO X PALMEIRAS
CAMPEONATO BRASILEIRO - 1º TURNO

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista
Horário: 19h

Red Bull Bragantino: Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar (Weverson); Raul, Lucas Evangelista e Eric Ramires; Artur, Helinho e Ytalo. Técnico: Maurício Barbieri

Palmeiras: Jaílson; Marcos Rocha, Felipe Melo (Kuscevic), Renan e Victor Luis; Danilo Barbosa (Felipe Melo), Gustavo Scarpa e Raphael Veiga; Rony (Gabriel Menino), Deyverson e Willian. Técnico: Abel Ferreira

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira-SP
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro-SP e Daniel Luis Marques-SP
VAR: Vinicius Furlan-SP

UOL Palmeiras #17: Diretoria do Palmeiras deveria se posicionar sobre perseguição a atletas

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir UOL Palmeiras, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e YouTube.

Futebol