PUBLICIDADE
Topo

Futebol

À espera de Aguirre, Inter aumenta jejum em casa e de gols sem pênalti

Maxi Franzoi/AGIF
Imagem: Maxi Franzoi/AGIF

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

21/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

Às vésperas de Diego Aguirre ser apresentado e iniciar, oficialmente, o trabalho no estádio Beira-Rio, o Internacional aumentou o grau de dificuldade para a arrancada da gestão do uruguaio. O empate com o Ceará, pelo placar de 1 a 1, ampliou a sequência de jogos sem vitória como mandante. Também aumentou o tempo sem gols com bola rolando. Já são mais de 800 minutos marcando apenas a partir de faltas ou pênaltis.

Diego Aguirre vai ser apresentado oficialmente hoje (21) pelo Colorado. A estreia do uruguaio, que passou por Porto Alegre em 2015 e recentemente esteve em Atlético-MG e São Paulo, acontece diante da Chapecoense, quinta-feira (24), na sexta rodada do Brasileirão.

E a missão de Aguirre não vai ser pequena. O treinador chega com o objetivo de aumentar a competitividade do time em campo, mudar a forma de jogar e acalmar o ambiente.

A última vitória do Inter em casa aconteceu contra o Juventude, pela semifinal do Gauchão. De lá para cá, seis partidas e nada de vencer. O último gol sem ser de pênalti, falta ou escanteio aconteceu contra o Olimpia, pela Libertadores. Desde então, oito partidas sem balançar as redes a partir de uma jogada com a bola rolando.

"Toda a informação que a gente tem, que a gente colhe, será transmitidas ao Aguirre. A condução agora é dele. Temos um banco de informações que serão servidas para ele implementar o trabalho dele com o menor risco possível", disse Osmar Loss, auxiliar técnico e interino no comando do time até o domingo (20).

A campanha no Campeonato Brasileiro é considerada, nos bastidores, desastrosa — até aqui. A eliminação na Copa do Brasil foi o estalo para a saída de Miguel Ángel Ramírez. E agora, além de recuperar o desempenho e resultados, a ideia é injetar novo ânimo.

O Inter tem o diagnóstico de que o elenco precisa de novas vozes no vestiário. O grupo de jogadores terá não só Diego Aguirre, mas também Paulo Paixão. O preparador físico, multicampeão com Inter, Grêmio e seleção brasileira volta após oito anos para ocupar o cargo de coordenador da preparação física.

Em 2015, Diego Aguirre comandou o Inter em 48 partidas e deixou o clube com o título do Campeonato Gaúcho e campanha até a semifinal da Copa Libertadores. No Brasileirão, à época, o time ocupava o décimo lugar na tabela. A demissão aconteceu após dois empates seguidos, contra Ponte Preta e Chapecoense. Agora, o uruguaio volta e assume em um cenário mais tenso.

Futebol