PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Mozart estima mais dois jogos para definir novo sistema de jogo do Cruzeiro

Novo técnico do Cruzeiro chegou há menos de uma semana em MG e trabalha por novo estilo de jogo na Raposa - Bruno Haddad/Cruzeiro
Novo técnico do Cruzeiro chegou há menos de uma semana em MG e trabalha por novo estilo de jogo na Raposa Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

15/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

O técnico Mozart ainda não completou uma semana de Cruzeiro, mas já tenta acelerar o trabalho para que os jogadores compreendam o quanto antes sua metodologia. Tudo para que o time possa também, quem sabe, deixar o quanto antes a zona mais perigosa da tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro. Para tanto, o técnico ainda precisa entender de perto as principais características de seus jogadores. Só assim para o torcedor poder ver um time diferente ao que montava o demitido técnico Felipe Conceição.

O empate em 1 a 1 com o Goiás no último sábado, na terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, deu ao Cruzeiro o seu primeiro ponto na competição. Nesta partida, até pelo pouquíssimo tempo de Mozart na Toca II, não deu para o técnico implementar mudanças substanciais. Mas só pela chegada da nova comissão técnica o lado anímico já foi modificado.

"A maneira que eu fui recebido foi fantástica, não só pelos jogadores, mas por todo o clube. Pode ter certeza que estamos mobilizados para, jogo a jogo, nós conquistarmos. Esse clube, pela grandeza que ele tem, pelas pessoas que trabalham nele, não merece estar na Série B. Vamos jogo a jogo, com esse espírito, com bastante humildade, sabendo da nossa capacidade, tentar ganhar os jogos, que lá em novembro seremos premiados", disse o treinador.

Mozart comandará a quarta sessão de treinos no Cruzeiro amanhã. Ele iniciou os trabalhos na sexta-feira passada, véspera do duelo com o Goiás, orientou atividades no domingo, ontem (14) e fecha a preparação para a partida contra a Ponte Preta, no interior de São Paulo, hoje (15). O próprio treinador sabe que ainda precisa de mais tempo para que os jogadores passem mais a entender sua forma de atuar.

"Com uma sessão de treino é muito difícil [os atletas assimilarem a ideia de trabalho]. Cada treinador tem o seu gosto. É importante conhecer as características dos jogadores para, aí sim, definir um sistema. Acredito que aos poucos, treino a treino, aproveitando os jogos, dá para definir esse sistema e usar da melhor forma a característica de cada atleta. A responsabilidade de rapidamente achar o melhor sistema, obviamente, é minha, mas com uma sessão de treinos é muito difícil. Acredito que em dois, três jogos dará para nós definirmos um sistema de jogo que se adapte da melhor maneira possível às características dos meus jogadores", garantiu o técnico, que no vídeo dos bastidores do empate com o Goiás pediu um jogo "mais coletivo" de sua equipe.

"Futebol é um jogo coletivo, joguem de maneira coletiva. Encontrei um ambiente do caramba aqui. Vamos merecer a história, vamos construir a vitória", disse no vestiário antes da partida, como mostrado em um vídeo oficial do clube.

Destaque do Cruzeiro no primeiro jogo de Mozart à frente da equipe, o meia Marcinho, antes escanteado pelo técnico Felipe Conceição, sabe da importância do ponto conquistado contra o Goiás. E, também, da sequência de bons resultados.

"Claro que estávamos em busca dos três pontos, mas esse ponto foi importante para darmos sequência nos nossos objetivos. Temos dois jogos difíceis fora de casa [Ponte Preta e Operário], temos que encarar como duas batalhas e somar o maior número de pontos possíveis. E dar sequencia no trabalho. Esses dois jogos serão fundamentais para ajudar", comentou o meia.

Cruzeiro