PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Esquecidos por Conceição, meias terão mais chances no Cruzeiro de Mozart

Marcinho e Giovanni Piccolomo voltam a ser opções no Cruzeiro após saída de Felipe Conceiçao - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Marcinho e Giovanni Piccolomo voltam a ser opções no Cruzeiro após saída de Felipe Conceiçao Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

14/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Cruzeiro com o técnico Felipe Conceição, demitido na última semana após a eliminação da Raposa na Copa do Brasil, atuava com um esquema que em nada privilegiava os meias com características "mais clássicas". Os atletas dotados de mais qualidade para a criação de jogadas, pensadores do meio-campo, ficaram escanteados pelo antigo treinador, que optava por volantes passadores e pontas para acelerar o jogo pelas beiradas. No entanto, com a chegada de Mozart Santos, esse perfil deve voltar a ser valorizado no elenco.

Quase liberado para o CSA, o meia Marcinho, reincorporado ao elenco — depois de ficar treinando separado — e autor do gol salvador no 1 a 1 com o Goiás, que evitou a terceira derrota do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro, será um desses jogadores com mais chances.

Mozart não poupou elogios ao atleta, melhor meia da Série B de 2020 atuando pelo Sampaio Corrêa.

"Marcinho é um jogador extremamente refinado. Consegue jogar próximo da linha da adversária, pifar [passe decisivo no linguajar do futebol] os atacantes, tem o chute de média distância, tem a bola parada", elogiou.

Outro atleta que tem características antes descartadas pelo Cruzeiro e que agora volta aos planos é Giovanni Piccolomo. O meia havia sido cedido ao Avaí no começo do ano, já que não seria aproveitado por Conceição. Entretanto, como já trabalhou com Mozart, o treinador pediu que a diretoria exigisse ao Leão de Santa Catarina o retorno do atleta.

"Ele [Giovanni Piccolomo], com certeza entra nos meus planos, tanto que pedimos para ele voltar. Falando do próprio Giovanni, um jogo como esse [contra o Goiás], com adversário marcando baixo, com a característica dele, que tem a bola nas costas da defesa, passe direto para os atacantes, que tem chute de média e longa distância. Hoje é uma coisa que faltou um pouco para nós, porque os adversários contra nós virão mais baixos, precisaremos desse chute de média e longa distância", explicou o motivo da solicitação pela volta do jogador.

Salvador da pátria

Marcinho foi um dos jogadores mais assíduos do Sampaio Corrêa na Série B do ano passado. O meia fez 37partidas, sendo 35 como titular, balançou as redes oito vezes e deu cinco assistências. No Cruzeiro ainda está longe de ter aquele protagonismo do ano passado, muito pela forma que o técnico anterior procurava jogar. Mas foi super importante pelo gol que ajudou o time azul contra o Goiás.

Com a camisa celeste, Marcinho jogou até aqui 13 partidas e marcou dois gols.

"Eu optei por não iniciar com ele [contra o Goiás], porque ele vinha de um tempo de inatividade. Não tínhamos noção da autonomia dele, quanto tempo duraria [em campo], então optamos por ele ficar no banco. Está de parabéns pela forma que entrou. Não só ele como todos os jogadores. E foi premiado com o gol", elogiou Mozart.

Cruzeiro