PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Mozart elogia empenho dos atletas, mas lamenta falta da 'estreia perfeita'

Mozart estreou no comando do Cruzeiro com um empate diante o Goiás, no Mineirão - Gustavo Aleixo/Cruzeiro
Mozart estreou no comando do Cruzeiro com um empate diante o Goiás, no Mineirão Imagem: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

13/06/2021 00h12

Classificação e Jogos

O Cruzeiro estreou o seu novo técnico contra o Goiás, na noite de ontem (12), em jogo da terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Mozart Santos, que substituiu Felipe Conceição — demitido após eliminação na Copa do Brasil —, conquistou o primeiro ponto da Raposa na Divisão de acesso com o empate diante do Esmeraldino. O treinador, com um discurso positivista, elogiou o empenho dos seus atletas, comemorou o ponto conquistado, mas lamentou que o time não tenha conseguido virar o jogo mesmo após oportunidades criadas.

"Particularmente, gostei do jogo, do nosso espirito. Acabou que o episódio do gol [contra marcado por Joseph] deixou o jogo favorável para o Goiás. A proposta era eles tentarem igualar nossa saída com três no primeiro tempo, mas depois que saiu o gol eles baixaram [as linhas defensivas] e tivemos que atacar contra oito, contra nove, contra dez e, realmente, não é tão simples atacar dessa forma. Tenho que enaltecer o que os jogadores fizeram hoje. Não era um jogo simples, principalmente depois do gol. Eles continuaram tentando, lutaram até o final, com espírito, conseguiram o empate, quase conseguimos a virada, o Tadeu fez duas grandes defesas no segundo tempo. Agora é descansar e pensar na Ponte Preta", comentou.

Questionado sobre a apatia dos jogadores, Mozart discordou e preferiu enxergar de outra forma, novamente elogiando os seus atletas.

"É a velha história do copo meio cheio e meio vazio, eu vejo meio cheio. Não é fácil jogar contra uma equipe que marca bem, baixa às linhas, que marca com oito, nove, dez jogadores. Acabou que o episódio do gol tornou o jogo mais favorável a eles, mas nós conseguimos buscar o empate, construir outras chances de gol, o Tadeu fez duas grandes defesas. Eu venho aqui para enaltecer o que os jogadores quiseram. Eu, mais do que ninguém, queria vencer. Pelo episódio o jogo foi favorável a eles. Queríamos vencer, pode ter certeza disso. Pelo espírito da minha equipe. Esse ponto será importante lá na frente", frisou.

Estreia quase perfeita

Mozart enxergou ainda que ele poderia, por pouco, ter tido uma estreia perfeita no Cruzeiro.

"Fica o gostinho amargo, pois criamos para virar. Seria a estreia perfeita em um jogo duro como esse, onde você sai atrás, consegue o empate. E se conseguíssemos a virada seria perfeito. Saio satisfeito pelo espírito, entrega e fomos buscar o empate. Espero que esse ponto seja fundamental para nossas pretensões futuras", comentou.

Novo espírito para o grupo

O novo treinador garantiu também que tentará passar para os atletas um espírito de garra para recuperar o psicológico do grupo.

Esse espírito, sentimento que demonstraram hoje tem que ser uma característica da nossa equipe. Nós somos um dos grandes, talvez o maior da Série B. Os adversários que vão nos enfrentar farão o jogo da vida, temos que igualar no espírito, e eles [jogadores do Cruzeiro] demonstraram esse sentimento, lutaram, tentaram o tempo todo. O Sóbis deu um carrinho aos 48 minutos do segundo tempo depois que nós empatamos. Tem que enaltecer o que esses caras fizeram hoje. Os jogadores estão de parabéns, lutaram até o fim, criaram chance para vencer o jogo. Óbvio que temos coisas para ajustar, para corrigir, mesmo se tivéssemos ganho teria coisas para corrigir, faz parte do processo. Vamos descansar e pensar na Ponte", disse.

Mudanças que garantiram o resultado

O treinador também analisou as mudanças feitas no segundo tempo, que proporcionou uma mudança que garantiu o empate na partida.

"As substituições surtiram efeito. Enaltecer quem começou o jogo, quem entrou no jogo e conseguiu dar uma dinâmica boa, conseguiu empatar o jogo. O Stênio entrou muito bem, o Adriano entrou muito bem, o Barbosa entrou muito bem, o próprio Felipe entrou bem, o Marcinho contribuiu com o gol de empate. Todos estão de parabéns. Quem começou, quem entrou e mudou o resultado do jogo. A gente está buscando uma forma que contemplem as caraterísticas desses jogadores. Meu dever como treinador achar a melhor forma para jogarmos", ponderou.

Cruzeiro