PUBLICIDADE
Topo

Santos

Diniz tem força interna em negociação por retorno de Ganso ao Santos

Paulo Henrique Ganso em ação durante Fluminense x Portuguesa-RJ pelo Carioca 2021 - Thiago Ribeiro/AGIF
Paulo Henrique Ganso em ação durante Fluminense x Portuguesa-RJ pelo Carioca 2021 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

02/06/2021 04h00

Classificação e Jogos

A negociação entre Santos e Fluminense pelo retorno de Ganso ainda está longe de ter um fim. Como o UOL Esporte antecipou, o Peixe tem receio de repatriar o meia devido a forte rejeição por parte da torcida, mas isso pode ser superado por pedido do técnico Fernando Diniz, que insiste pela contratação do jogador.

A negociação segue em andamento, mas o Peixe e o Flu ainda não chegaram a um denominador em comum pela liberação do atleta. Enquanto isso, Diniz faz força nos bastidores pelo "sim" da diretoria. O treinador crê que Ganso viria para agregar e solucionar o problema do meio-campo, que mostra deficiência há alguns jogos.

"É um assunto interno. Resolvemos internamente. Ganso teve grande participação comigo no Fluminense. Se puder voltar, seria bom para todo mundo, mas tratamos disso internamente", disse Fernando Diniz após a vitória por 2 a 0 sobre o Cianorte ontem (1).

Inicialmente, o clube carioca gostaria de ceder Ganso até 2023, fim de seu contrato. Em contrapartida, o Alvinegro exige tê-lo apenas até o final da temporada com opção de renovar o vínculo. Essa parte foi acordada. Entretanto, a parte financeira ainda não.

A ideia do Alvinegro é ter o meia por empréstimo, pagando parte do salário. Em difícil situação financeira, a equipe paulista não consegue arcar com os altos vencimentos do jogador. O Flu, por outro lado, gostaria de se livrar de um salário alto e um jogador pouco utilizado no momento, mas ainda há um entrave nesse molde contratual.

O meia Paulo Henrique Ganso durante partida do Fluminense contra o Madureira - Lucas Merçon - Lucas Merçon
O meia Paulo Henrique Ganso durante partida do Fluminense contra o Madureira
Imagem: Lucas Merçon

Como trunfo, o Peixe vê Ganso, aos 31 anos, como terceira opção hoje no Fluminense, atrás de Nenê e Cazares. A falta de espaço e o salário alto é visto como um facilitador para o Alvinegro, que até pensou em oferecer um vínculo por produtividade, mas não firmou proposta oficial e ainda negocia informalmente.

A negociação, entretanto, ainda não foi dada como encerrada pelas partes. Desejo expresso do técnico Fernando Diniz, Ganso ainda interessa ao Santos. As tratativas com o Fluminense estão sendo feitas pelo empresário Giuseppe Dioguardi, o Pepinho, junto aos presidentes Mário Bittencourt e Andrés Rueda.

No Peixe, Paulo Henrique Ganso tem 123 jogos e 27 gols. Na Baixada, conquistou três vezes o Campeonato Paulista, uma Libertadores, uma Copa do Brasil e uma Recopa Sul-Americana. Menino da Vila e companheiro inseparável de Neymar, a torcida ainda o rejeita pela forma que deixou o Peixe para selar contrato com o São Paulo em 2012.

O meia jogou por quatro anos pelo clube do Morumbi, até se transferir para o Sevilla-ESP. A passagem pelo futebol europeu, no entanto, foi frustrante. Nem mesmo quando jogou por empréstimo pelo Amiens-FRA, conseguiu se firmar. Em 2019, então, voltou ao Brasil para assinar com o Fluminense. Até o momento o Santos contratou o lateral Moraes e o meia-atacante Marcos Guilherme, oficializados, além do zagueiro Danilo Boza e o meia Vinicius Zanocelo, que devem ser anunciados hoje.

Santos