PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Com estrela de Keno, Atlético-MG vence o Cerro e voa na Libertadores

Do UOL, em Belo Horizonte

19/05/2021 22h56

Classificação e Jogos

Um olho no Cerro Porteño, outro no América-MG. Foi com esta estratégia que o Atlético-MG entrou em campo na noite desta quarta-feira (19), quando encarou o time paraguaio no General Pablo Rojas, em Assunção, em jogo válido pela quinta rodada da Libertadores. Com um time bem alterado e vários titulares poupados, os mineiros venceram os paraguaios por 1 a 0, com gol marcado por Keno, acionado na segunda etapa, e garantiram-se na liderança do Grupo H.

Com seis pontos de diferença para o Cerro, 13 a 7, o Atlético-MG termina a noite dono da melhor campanha geral do torneio. Na próxima terça-feira (25), o Alvinegro volta a campo pela Libertadores e recebe o La Guaira, da Venezuela, no Mineirão. Já classificado para a próxima fase e seguro na liderança, apenas cumprirá tabela no Gigante da Pampulha.

Porém, antes do desafio internacional, os comandados de Cuca decidirão o Campeonato Mineiro. Sábado (22), a partir das 16h30, o time alvinegro enfrenta o América-MG, treinado por Lisca, também no Gigante da Pampulha. Dono da vantagem por ter feito a melhor campanha na primeira fase, o Galo será campeão caso não perca para o Coelho. No duelo de ida, disputado na Arena Independência, as duas equipes empataram em 0 a 0.

Quem foi bem: Arana e Marrony

Gostando cada vez mais de subir ao ataque, Arana esteve perto de marcar o décimo gol com a camisa atleticana. Bastante presente no setor, o camisa 13 não esqueceu da recomposição e foi uma das principais peças de Cuca no confronto no Paraguai.

Apesar de ter sido substituído na segunda etapa, Marrony se movimentou bastante e fez jus à aposta de Cuca em escalá-lo. Preterido em jogos passados, o ex-jogador do Vasco ditou ritmo no ataque enquanto esteve em campo.

Quem foi mal: Vargas e Hyoran

Autor de um belo gol na vitória do Atlético-MG sobre o América de Cali, por 3 a 1, Vargas pouco criou nesta quarta-feira. Mais apático, o chileno deixou a desejar na quinta rodada.

Com a missão de substituir o argentino Nacho Fernández, Hyoran também não cumpriu o papel dentro das quatro linhas. Apesar de movimentar-se o tempo inteiro, o meia não conseguiu munir os atacantes com jogadas que levassem perigo ao gol de Jean.

Curiosidade

Na partida disputada em solo paraguaio, o técnico Cuca completou 17 jogos pelo Atlético-MG em edições da Libertadores. Com isso, o comandante igualou a marca de Levir Culpi que, até o momento, era o treinador recordista do clube na competição mais importante da América do Sul. Essa também foi a terceira vez na história que o Galo conseguiu duas vitórias numa edição do torneio atuando fora de casa; a primeira em 1978, e a segunda em 2013; nessa, curiosamente, também era comandado por Cuca.

Primeiro tempo

Apesar de ter entrado em campo com uma equipe bem mexida, o Atlético-MG se mostrou à vontade no estádio General Pablo Rojas (La Olla). Com apenas cinco titulares (Everson, Alonso, Arana, Allan e Tchê Tchê), o Alvinegro criou boas oportunidades para abrir o placar, mas acabou pecando nas finalizações.

A melhor chance dos 45 minutos iniciais saiu dos pés de Guilherme Arana. O lateral esquerdo, chegou a driblar o último adversário, mas acabou sendo parado pelo goleiro Jean, que defendeu o ótimo chute cruzado do camisa 13 do Galo.

O Cerro, por sua vez, também teve chance de sair na frente, mas esbarrou na defesa atleticana. Precisando vencer para garantir-se matematicamente nas oitavas de final com um rodada de antecedência, a equipe do técnico Francisco Arce foi para o vestiário com o zero no placar.

Cartada de peso

Sem balançar a rede até os 22 minutos do segundo tempo, o técnico Cuca promoveu três alterações ousadas no Atlético-MG. Hulk, Keno e Matías Zaracho foram acionados pelo treinador, nas vagas de Sasha, Marrony e Vargas. Minutos depois, trocou Arana por Dodô. Assim como aconteceu na primeira etapa, o Galo controlou bem as ações e não se assustou com as investidas dos donos da casa.

Estrela de Keno

Poupado do primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, o atacante Keno foi o herói da partida. Acionado por Cuca na segunda etapa, ele foi o responsável por, já no apagar das luzes, balançar a rede e dar a vitória ao Atlético-MG.

E terminou assim.

Ficha do Jogo:
Cerro Porteño 0 x 1 Atlético-MG

Motivo: 5ª rodada da fase de grupos da Libertadores 2021
Data: 19 de maio de 2021 (quarta-feira)
Local: Estádio General Pablo Rojas, La Olla, em Assunção (Paraguai)
Horário: 21h (Horário de Brasília)
Árbitro: Esteban Ostojich (Uruguai)
Cartão amarelo: Villasanti e Boselli (Cerro); Arana, Allan, Vargas e Gabriel (Atlético)
Cartão vermelho: Não houve

Gol: Keno (Atlético-MG), aos 46 minutos do segundo tempo.

Cerro Porteño: Jean; Espínola, Duarte, Patiño e Arzamendia; Mateus Gonçalves (Giménez), Angel Cardozo, Villasanti e Aquino; Morales e Boselli. Técnico: Francisco Arce

Atlético-MG: Everson; Mariano, Gabriel, Junior Alonso e Guilherme Arana (Dodô); Allan, Tchê Tchê (Zaracho) e Hyoran (Nathan); Marrony (Keno), Vargas e Sasha (Hulk). Técnico: Cuca

Atlético-MG