PUBLICIDADE
Topo

Mineiro - 2021

Atlético-MG reclama do apito após final e estuda pedir "juiz de fora" à FMF

Confusão após empate na final em MG aconteceu por discordância de atleticanos com o árbitro do jogo - Reprodução/TV Globo
Confusão após empate na final em MG aconteceu por discordância de atleticanos com o árbitro do jogo Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em Belo Horizonte

DO UOL, em Belo Horizonte

17/05/2021 04h00

Classificação e Jogos

Após o empate em 0 a 0 com o América-MG no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, dirigentes, jogadores do Atlético-MG e o técnico Cuca reclamaram bastante do trabalho de Wanderson Alves de Souza, o árbitro na partida de ontem (16). Depois do apito final uma tremenda confusão foi armada no gramado do estádio Independência, inclusive com representantes da diretoria do Galo seguindo em direção ao profissional da arbitragem para reclamar.

De acordo com relatos da reportagem volante da Rádio Itatiaia, houve, por parte de membros do departamento de futebol atleticano, a intenção, dita ao árbitro, de solicitar à Federação Mineira de Futebol (FMF) um profissional do quadro de outra federação — que não a de Minas Gerais — para a grande decisão. A finalíssima acontecerá no próximo sábado (22), às 16h, no Mineirão.

O UOL Esporte procurou a assessoria de imprensa atleticana para saber se, de fato, o Galo pediria à FMF árbitro de outra localidade para o jogo decisivo contra o Coelho. O clube disse que "oficialmente não há nada".

Reclamações

Em entrevista ao fim da partida, o lateral esquerdo Guilherme Arana foi o primeiro a questionar o trabalho de Wanderson Alves de Souza. E o jogador não poupou críticas ao desempenho do árbitro no confronto América-MG x Atlético-MG.

"Não estava coerente para ambas as equipes. Numa final, tem que se preparar mais. No primeiro tempo, ele parou bastante. No segundo, ele queria jogo. Sem critério. Temos que valorizar o empate, porque estávamos com um a menos. Final é assim, os dois times querendo ganhar", disse à Globo Minas.

Até o presidente Sérgio Coelho entrou em cena para reclamar e foi ao gramado após o confronto para criticar a atuação do dono do apito no clássico. Já o técnico Cuca preferiu um discurso moderado, mas no fundo reclamando também do juiz.

"Eu não vou reclamar da arbitragem, os caras fazem o melhor deles, porém, ele deu sete minutos, deu mais um minuto, deu mais outro, aí quando faltavam 20, 15 segundos [terminou o jogo]. Pô, mas o Galo está chorando por 15 segundos? Não é chorar por 15 segundos, é uma falta perigosíssima e o nosso time é bom no jogo aéreo, e é uma bola que pode definir o jogo. Acabou no lance em que tínhamos a chance [de fazer o gol]", reclamou.

A bronca contra Wanderson Alves ficou forte porque o árbitro, na visão do Atlético-MG, encerrou a partida antes de o acréscimo dado pelo próprio juiz terminar.

"Se tivesse estourado o tempo, tudo bem. Ele falou, você vai me pedir desculpas depois. Eu falei, sim, se tiver estourado o tempo, vou. Não é o que pareceu. De qualquer forma, não vamos transferir para ele a responsabilidade do empate, mas foram cinco cartões amarelos para nós, mais o vermelho, um cartão justo, merecido. Mas tiveram cartões por, de repente, ser jogo final, poderiam ter sido preservados. Não se perde nenhum jogador para o outro jogo, mas fica pendurado para essa partida, é um risco que se corre", finalizou.