PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Dupla do Corinthians projeta estreia na Sula: 'Jogo da vida dos caras'

Bruno Méndez e Camacho foram os escolhidos do clube para falar com a imprensa antes da estreia na Copa Sul-Americana  - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Bruno Méndez e Camacho foram os escolhidos do clube para falar com a imprensa antes da estreia na Copa Sul-Americana Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

21/04/2021 12h36

Classificação e Jogos

O Corinthians está prestes a fazer sua estreia na Copa Sul-Americana. Amanhã (22), às 21h30 (horário de Brasília), o Timão visita o River Plate do Paraguai, em Assunção, na rodada de abertura do Grupo E. Na visão do uruguaio Bruno Méndez, provável titular da equipe, a partida será complicada ao Alvinegro já que o duelo será o 'jogo da vida' do time paraguaio.

"Não sei o histórico de Corinthians e River Plate, mas acho que é o primeiro jogo entre eles da história. É o jogo da vida do clube. Eu acho que o River, por ser um time pequeno, tem certa dificuldade com infraestrutura e dinheiro e, por isso, é o jogo da vida dos caras", alertou o zagueiro corintiano, já esperando dificuldades em atuar no estádio Defensores del Chaco.

O River Plate é o lanterna do Campeonato Paraguaio, com apenas seis pontos ganhos em 36 disputados até agora. Na visão do volante Camacho, outro que briga pela titularidade na equipe do Corinthians e cedeu entrevista coletiva nesta quarta (21), a ausência da torcida adversária e a consequente falta de pressão podem ser úteis ao Timão.

"Espero que o Corinthians entre com o melhor futebol possível para conseguir a vitória. Lá na casa deles, por não ter torcida, vai ser um campo neutro. É bom para nós e espero que o campo esteja bom para que façamos um bom jogo", afirmou o meio-campista, personagem da última edição do podcast UOL Corinthians.

A delegação alvinegra embarca para Assunção ainda nesta tarde e se concentra para o jogo de amanhã. O clube do Parque São Jorge vai atrás de sua primeira conquista na Copa Sul-Americana. Nesta edição, o Corinthians é o cabeça de chave do Grupo E, que também conta com o Sport Huancayo, do Peru, e o Peñarol, do Uruguai.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Bruno Méndez e Camacho:

(Camacho) Sobre a franqueza de Mancini com o elenco

"Esse é um dos pontos positivos do Vagner, que é essa conversa franca com a gente. Quem está entrando e quem está saindo sabe os motivos. Todo o elenco gosta disso".

(Bruno) Sobre mobilização dos pequenos

"Não sei o histórico de Corinthians e River Plate, mas acho que é o primeiro da história. É o jogo da vida do clube. Eu acho que o River, por ser um time pequeno, tem certa dificuldade com infraestrutura e dinheiro e, por isso, é o jogo da vida dos caras".

(Camacho) Sobre a relação com os jovens

"É sempre bem-vinda, é uma transição complicada. É complicado sair da base e chegar no profissional. O grupo é muito bom, eles foram recebidos da melhor maneira possível. O Corinthians é um dos melhores clubes do Brasil para subir (da base). Eles estão se adaptando, estão ganhando rodagem e têm muito a ajudar a gente esse ano".

(Camacho) Sobre oportunidades no Paulistão

"Foram dois bons jogos nossos. Perdemos o primeiro, achei que a gente não merecia. É bom para todo mundo. Tem o lado ruim do cansaço, mas me senti bem. Está todo mundo concorrendo a uma vaga, então quem jogar espero que vá bem e traga a vitória".


(Bruno) Sobre jogo mais físico em competições internacionais

"Acho o futebol paraguaio muito parecido com o uruguaio, é muito físico. Me sinto mais cômodo neste tipo de jogo. Eu gosto desse tipo de jogo que é mais travado, mais físico. Temos que jogar melhor, ir lá e buscar o resultado. Fazer o melhor para voltar com os três pontos".

(Camacho) Sobre papo com Mancini

"Ele sempre tenta conversar com a gente, me disse que eu precisava melhorar na marcação, ficar mais atento às linhas para ter mais oportunidade. Fiz isso e tentei trabalhar com os preparadores físicos para melhorar. Agora vamos ver (sobre possibilidade de ser titular), daqui a pouco teremos a resposta".

(Bruno) Análise do Grupo E da Copa Sul-Americana

"Vai ser um grupo muito difícil, principalmente porque o que passa para as oitavas é apenas o primeiro. Vamos jogar no Peru, que é na altura, vamos jogar no Uruguai contra o Peñarol que é um time grande e é difícil. E vamos jogar com o River Plate, que é um time que por mais que seja o último no Campeonato Paraguaio, sempre é forte. Vai ser um grupo difícil e vamos deixar tudo em campo para se classificar".

(Camacho) Sobre primeiro jogo internacional desde o início da pandemia

"Esperando entrar com o melhor futebol possível e conseguir a vitória. Lá na casa deles, por não ter torcida, vai ser um campo neutro. É bom para nós e espero que o campo esteja bom para que façamos um bom jogo. A torcida do Corinthians faz falta e é triste não contarmos com ela, mas já estamos acostumados com isso".

(Camacho) Sobre posicionamento um pouco mais avançado

"Normalmente, não sou um volante de entrar muito na área. Nos dois últimos jogos, do lado do Xavier, tive chances de gol. Infelizmente, errei o gol, mas vou treinar mais finalizações para ter mais chances e ajudar o Corinthians".

(Bruno) Sobre o momento positivo com a camisa do Corinthians

"Sem dúvidas que o primeiro ano foi difícil porque era meu ano de adaptação, eu era muito novo e tinha 19 anos. Estou mais maduro, trabalhei bastante a parte de força, a parte física. Agora estou mais confiante e o professor me deu mais espaço na equipe. Estou contente em ser titular do Corinthians e seguir assim para poder continuar jogando".

(Camacho) Como encarou as oportunidades no Paulistão?

"Joguei como se fosse o jogo da minha vida, tentei dar o meu máximo para poder ter mais oportunidades. Estou treinando para entrar mais na área e participar mais do jogo, mais dos gols e acho que deu certo para mim".

(Bruno) Sobre nível de competição mais elevado da Sul-Americana em relação ao Campeonato Paulista

"Os times que a gente pega vão ser muito difíceis, não vai ser nada fácil. Estou feliz por ter essa oportunidade, como falou o Camacho, todo jogo é o jogo da vida para a gente em um time como o Corinthians. É deixar tudo em cada jogo para seguir no time".

(Camacho) Prefere jogar de primeiro ou de segundo volante?

"Eu não tenho esse problema, jogo nas duas posições. Nesses dois jogos, joguei tanto de primeiro como de segundo. Eu e o Xavier revezamos isso bem. O Xavier tem características mais defensivas e por isso eu saí mais, mas não tenho esse problema".

(Bruno) Sobre comunicação com os rivais e com os árbitros nas competições da Conmebol

"Pode ser que faça diferença, agora vou me comunicar melhor com o juiz. Acho que aqui no time vão me deixar falar mais com o juiz e com o adversário porque todo mundo fala espanhol. Para mim, vai ser mais fácil. Dentro do campo, por mais que falem outra língua, é a mesma coisa".

Corinthians