PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mancini elogia evolução de Cauê, mas não descarta medalhões no Corinthians

Vagner Mancini acredita em evolução do jovem Cauê - Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians
Vagner Mancini acredita em evolução do jovem Cauê Imagem: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Do UOL, em São Paulo

12/04/2021 04h00

Escalar as promessas das categorias de base é uma das cobranças que mais passam pelos treinadores do Corinthians. E Vagner Mancini será certamente martelado pela utilização de uma delas em especial. O atacante Cauê, de 18 anos, estreou como titular do Timão com um gol e mostrou faro de artilheiro ao levar a equipe à vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, ontem (11), em Campinas (SP), pelo Campeonato Paulista.

Essa foi a quarta partida de Cauê com a camisa alvinegra. Dessa vez, ele teve a oportunidade de atuar desde o começo, mas quase não participou do jogo no primeiro tempo. Na etapa final, porém, usou seu estilo goleador para decretar o quarto triunfo do Corinthians no Paulistão, com um gol de cabeça aos 27 minutos, no rebote de uma bola cruzada que bateu no travessão.

"A opção inicial por ele [na disputa com Felipe] foi por ser mais velho, estar há mais tempo no clube, entender melhor taticamente o jogo. Dentro dos treinamentos, ele mostra que tem totais condições, já jogou em seleções de base, tem experiência maior. Por tudo isso, entendemos que é o momento dele", justificou o técnico Vagner Mancini.

"Eu vi o Cauê melhorando a cada dia, do primeiro treino dele para hoje é uma grande diferença. Assim como posso afirmar que o jogo de hoje para daqui a 15 ou 30 dias, vai ser melhor. É necessário ter paciência porque é um processo lento, de entrada de garotos em uma equipe que é cobrada por vitórias e conquistas. Mas nós sabemos que está tendo uma evolução que pode demorar um pouco mais ou menos. Mas ela virá."

Cauê chamou a atenção ao marcar seu gol pelo abraço dado em Jô, que estava no banco de reservas. O garoto falou que foi uma forma de agradecimento pelo apoio que recebe no dia a dia e ainda revelou uma profecia do veterano antes da partida. "Ele é um ídolo para mim. Antes do jogo, ele falou comigo, falou que eu ia fazer um gol e que eu ia abraçar ele. Então eu fui abraçá-lo".

Mancini reiterou o quanto Jô tem ajudado no desenvolvimento de Cauê como um atleta profissional. "O Jô é um cara sensacional que tem tentado de todas as formas instruir e passar confiança ao Cauê. Hoje fiquei muito feliz quando ele foi abraçar o Jô. Mostra o bom ambiente, mas também que essa mescla vai funcionar. Tempos atrás, o Jô também teve 16 anos, estreou e teve apoio de todos os mais experientes. Ele está tentando fazer isso com o Cauê".

A entrada de Cauê como titular é um contraponto em relação à contratação de peças badaladas, como Luan, Cazares e Otero. Mas Mancini não vê que a chegada das jovens promessas ao time principal possa influenciar na escalação de jogadores que estão em fim de contrato. "Eles são jogadores do Corinthians. O Otero entrou. Jemerson e Cazares não entraram por circunstâncias. Eu olho simplesmente a parte técnica. Hoje era para fazer uma equipe mais rápida, com mais intensidade. Não foi um dia de testes".

A próxima partida do Corinthians no Paulistão será amanhã (13), em Araraquara (SP), contra a Ferroviária. O Alvinegro terá menos de 48 horas para se aprontar para mais um rodada, já que os clubes se comprometeram a terminar o Estadual na data que foi determinada no calendário. Mesmo assim, a maratona preocupa o treinador.

"Estamos falando sobre isso há alguns dias. É um tempo recorde, não estamos acostumados a entrar em campo com dois dias após um jogo. A minha ideia é escalar o mesmo time, mas não sei se terei condições por causa do cansaço. Tem que reavaliar os atletas para saber se tem alguma lesão. Essa definição vai ter que ficar para terça-feira, quando teremos mais ciência de tudo aquilo que o atleta sentiu desde hoje (ontem)."

Futebol